quinta-feira, 4 de Outubro de 2012

Vergonha em Nova Iorque...


"A Guiné-Bissau não merece ao que aconteceu na ONU”, disse Serifo Nhamadjo, e aqui estamos de acordo com o 'presidente'. Agora acusar o nosso embaixador na ONU como sendo o responsável pela vergonha que os próprios causaram, isso já é outra história. Será o embaixador o responsável do gabinete de credencias? Será que embaixador João Soares tem poderes de recusar a credenciação do “novo embaixador”? Será que o embaixador trabalha para o ONU? Parece-nos que ele trabalha para a Guié-Bissau e como tantos outros representantes, está sujeito às regras e regulamentos protocolares das Nações Unidas.
 
Sem dúvida, viveu-se em Nova York uma situação vergonhosa e frustrante nao só para o 'presidente', mas como também para toda a Guiné-Bissau; mas o Presidente “interino” deve virar a sua  atenção para a “equipa avançada”; que podiam pelo menos tê-lo avisado, de uma forma honesta e aberta, que havia incertezas na credenciação o que seria motivo suficiente para ponderar a sua deslocação e consequente gasto do erário público. O acontecido foi na verdade uma vergonha nao só nacional mas sim continental e os elementos, tanto do 'Gabinete da Presidência' como os do 'Ministério da Presidência', devem ser responsabilizados politicamente pelo sucedido. A única verdade nua e crua que saiu em toda esta “bagunça” e que as autoridades de transição formalizaram mundialmente a sua ilegitimidade… P.C."