terça-feira, 9 de Outubro de 2012

New York, New York


"Caro Irmão,

Sempre estarei - e como estás disponível para denunciar os que pensam que a Guiné-Bissau vai bem, governado com golpes fabricados por politicos caducos. Nunca um governo saido de um golpe é melhor que um governo democratico. Falando disso, Delfim da Silva sabe muito bem que fabricando intrigas na rádio e empurrar certas pessoas para a guerra contra este povo não é a melhor solução.

A ONU nunca deve pactuar com golpes de estado, ao contrário da CEDEAO, organização constituida por um pequeno grupo de marginais. Se um governo ou presidente saido do golpe mais contestado na historia de Guiné-Bissause pronunciar em nome da Guiné-Bissau seria a vitória dos golpistas fora de prazo e uma derrota para a democracia.

Para o 'presidente da transição': continua ser enganado pelos seu colegas golpistas que sabem muito bem que na democracia não há lugar para eles. Esta história da ONU reflete a importância da democracia num país. A hora é de os golpistas pensarem a Guiné-Bissau. Ao senhor Delfim da Silva: devia no minimo ter respeito o P.A.I.G.C e a dona Carmen Pereira, que é a pessoa ajudou o senhor Delfim a ser nomeado várias vezes ministro nos governos anteriores do P.A.I.G.C

Se a voz da Guiné-Bissau não foi ouvida na ONU, significa que a democracia deve continuar e parar com golpes de estado. Quer alguêm queira ou não a Democracia saiu vencedora na ONU. Que Estado é este que um chefe de estado maior pode insultar o representante da ONU na Guiné-Bissau?

ONU e ka bó colega!

Abaixo golpistas!

Serifo Djalo"