sexta-feira, 12 de Outubro de 2012

Guiné-Bissau de fora na cimeira da Francofonia


O 'governo de transição' da Guiné-Bissau disse hoje estar a desenvolver diligências para participar na cimeira da Francofonia, no fim-de-semana, na República Democrática do Congo (RDCongo), mas até agora não obteve qualquer resposta da organização. De acordo com uma fonte do 'governo de transição', tudo indica que a Guiné-Bissau não estará na cimeira de Kinshasa já que o país está suspenso da Francofonia, na sequência do golpe de Estado de 12 de abril.

As autoridades de transição tentaram, através do 'Ministério dos Negócios Estrangeiros' guineense, conseguir a representação do país na cimeira, mas "todos os contactos tidos até aqui com a organização da cimeira foram infrutíferos", assinalou a mesma fonte. O 'Governo' pretendia que o 'Presidente de transição', Serifo Nhamadjo, pudesse estar presente na cimeira que decorre, entre sábado e domingo em Kinshasa, para fazer um pedido de apoio aos países da Organização Internacional da Francofonia (OIF). A Guiné-Bissau tem um 'governo' e um 'Presidente de transição' saídos de um golpe de Estado perpetrado por militares em Abril passado, mas as novas autoridades praticamente não têm o reconhecimento internacional, salvo de algumas organizações sub-regionais africanas.