domingo, 31 de Outubro de 2010

ÚLTIMA HORA: Novo fantasmício de Cadogo...

Paragem obrigatória em Mafanco... Cerca de 2 horas. Não apareceu ninguém. Em Gabú, então, foi um fiasco. Mesmo a pagar 2.000 fcfa por cabeça... AAS

sábado, 30 de Outubro de 2010

EXCLUSIVO/Crise no Governo - O despacho que trouxe a polémica entre o 1º Ministro e a Ministra do Interior

Photobucket Photobucket

EXCLUSIVO - Ministra do Interior desmente tudo: "Não rasguei despacho nenhum. Fui educada pelos meus Pais, e pelo Amílcar Cabral»

Photobucket

- Ditadura do Consenso (DC) - Boa noite, senhora Ministra.

- Hadja Satú Camará Pinto (HSCP) – Boa noite.

- Sra. Ministra, fala o jornalista António Aly Silva, do blog Ditadura do Consenso (DC). Durante todo o dia quis falar consigo...

- HSCP – Sim...

- DC – Sra. Ministra, é verdade que recebeu o Despacho de suspensão de funções assinado pelo Primeiro-Ministro e você rasgou-o?

HSCP – Não... sr. Jornalista, não queria falar sobre este assunto. A minha função, é a de garantir a paz e a estabilidade. Não tenho nada a comentar sobre essa matéria...

DC – Sra. Ministra, a imprensa diz que você recebeu o Despacho, e rasgou-o... as pessoas estão chocadas com essa atitude...

HSCP – Não é verdade, sr. Jornalista, não rasguei documento nenhum.

DC – Tem testemunhas disso que acabou de dizer?

HSCP – Tenho. Estavam lá o ministro da Função Pública, Fernando Gomes, e o meu Secretário de Estado, Octávio Alves. Estava também o Coronel Buota Nanbatcha. Fui à Primatura para apresentar ao PM o meu despacho onde nomeava os oficiais, conforme a nova lei orgânica da Polícia de Ordem Publica. O Despacho do PM, onde ele me suspende das minhas funções, foi levado, depois, pelos senhores Carlos Pinto Pereira (Caía) e Tolentino para o Ministério do Interior.

DC – Então, recebeu o Despacho...

HSCP – Recebi, sim.~

DC – Assinou-o?

HSCP – Não, não assinei...

DC – E devolveu-o à Primatura?

HSCP – Também não. Tenho-o guardado, até vieram em triplicado. Se não fosse por telefone, mostrá-lo-ia. Não rasguei nada, nem na Primatura e nem no Ministério, onde mo entregaram.

DC – Se percebi bem, você recebeu o Despacho, não o assinou e nem o devolveu à procedência? E também não o rasgou...

HSCP – Repare, eu não podia fazer uma coisa dessas. E foi o que me chocou – as pessoas a falarem que eu, Hadja Satú Camará Pinto, rasguei um Despacho, com o selo da República, e assinado pelo Primeiro-Ministro. Desde que saí da casa dos meus Pais e entrei para o funcionalismo, pensei que tinha que aturar muitas coisas... Éramos dez irmãos, oito morreram na luta de libertação. Sou alguém que nasceu no seio de uma família educada, o meu Pai era professor e tinha 590 alunos. Eu estava no meio deles. Muitos combatentes da liberdade da Pátria conheceram o meu Pai. Um homem culto que estudou em países árabes, um homem pouco barulhento, pouco problemático. Educou-nos dessa maneira. O meu pai esteve preso na ilha das Galinhas e no Tarrafal. Saí das mãos dele e fui para as do Amílcar Cabral. Portanto, nunca teria essa atitude para com o símbolo da minha Pátria...

DC – Sra. Ministra, porque acha que houve essa violenta discussão entre si e o Primeiro-Ministro...

HSCP – Não digo mais nada sobre essa matéria. Aliás, o sr. Jornalista apanhou-me ‘descalça’... Peço a todos os jornalistas que, no tocante a outros assuntos, deixemo-los no âmbito da Administração...

DC – Muito obrigado, sra. Ministra.

HSCP - De nada. Obrigado, eu.

Entrevista feita por telefone. António Aly Silva

sexta-feira, 29 de Outubro de 2010

EXCLUSIVO: Afinal, a Ministra do Interior rasgou ou não o Despacho do 1º Ministro?

TODA A VERDADE: A entrevista exclusiva com a Ministra do Interior, Hadja Satú Camará, amanhã, no Ditadura do Consenso. AAS

Gâmbia? Revoltante!

"Meus Caros

O que está a acontecer com o António Aly Silva, guineense, nosso compatriota, no seu proprio pais é desagradavel. E inadimissivel.

A paz e o respeito entre nós, guineenses, e o respeito dos outros para connosco constrói-se por pequenas coisas. Por isso, o governo guineense, deve exigir responsabilidade ao Estado Gambiano por tudo o que aconteceu com o nosso cidadão na sua passagem pela Gâmbia.

Pode-se exigir responsabilidades à Gambia, como qualquer Estado que pratique um acto lesivo contra qualquer cidadão, neste caso guineense. Só assim podemos ser respeitados enquanto Estado e enquanto povo.

O que está a acontecer a este nosso cidadão, agora no seu proprio país, pode acontecer a qualquer um de nós. E isso é mau para qualquer esforço de pacificação dos espíritos que se queira construir na Guiné-Bissau, porque dá uma imagem de um Estado impontente, um Estado que pactua com injustiças e desleixos, porque isto ou aquilo não tem nada a ver comigo!

É revoltante.

Quem tem arma pega nele, mais nada. Acredito que se o António Aly Silva fosse um militar o seu problema já teria sido resolvido há muito tempo...

Acreditem.

Abraço, Luís P.
"

NOTA: Obrigado pela preocupação. Uma coisa garanto-vos: a Gâmbia vai pagar até ao último franco. AAS

PRID - Comunicado de Imprensa

Photobucket


"A Direcçao do Partido Republicano da Independência para o Desenvolvimento – PRID – na sua reunião de 27 de Outubro de 2010 procedeu a análise da actual situação política do país caracterizada pelos elementos estruturantes seguintes:

- O PRID, vem mais uma vez alertar aos guineenses, pelas manobras de diversão, de baixo nível e de irresponsabilidade praticadas pela direcção do PAICG de CADOGO Junior e da sua dita Comissão Permanente;

- A ausência total, até a data presente, de explicações convincentes, por parte do Governo, sobre as circunstâncias dos sucessivos assassinatos que ceifaram a vida do ex-Presidente da República, General João Bernardo Vieira assim como do então Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, General Tagme Nawaie; e dos antigos membros de governo e deputados Helder Proença e Baciro Dabo;

- As verdadeiras razões da conduta deste governo do Sr. Carlos Gomes Junior, que longe de condenar a prática de assassinatos, deu mostras de legitimar os mesmos, respondendo positivamente ao apelo do auto- proclamado chefe de estado maior general das forças armadas, Zamora Induta, no sentido de justificar e “carimbar” a barbaridade e o emprego desnecessário da força.

- A ausência não só de explicações, mas sobretudo a aliança clara entre o chefe deste governo e aqueles que nunca esconderam a sua participação quer nos assassinatos quer na repressão contra dirigentes da oposição só porque denunciaram os mesmos assassinatos acima referidos.

- O facto de a suposta comissão permanente do PAIGC continuar a negar a existência de uma crise política no país, o que é vergonhoso, sobretudo num contexto em que os principais dirigentes do partido que sustenta este governo, em conferência de imprensa em sede própria, acusam o Primeiro Ministro de envolvimento em crimes de sangue, arrogância e graves desvios políticos.

-O facto do Senhor Presidente da República, contrariamente à opinião deste governo, ter manifestado abertamente, em tribunas internacionais a convicção de que os assassinatos do ex-presidente da república e outros dirigentes em 2009 eram assassinatos políticos e que os resultados da investigação criminal seriam publicados no decurso deste mês de Outubro de 2010.

- O facto de todos os ingredientes estarem reunidos e estarem a fomentar rupturas cíclicas no relacionamento normal entre as instituições da república, crise essa que atingiu o ponto mais alto no dia 1 de Abril passado, como efeito perverso de alianças contraídas em momentos precisos, entre este governo e certas fracções da classe castrense. Alianças essas que sempre “vetamos”. Por outros termos será que no dia 1 de Abril o “feitiço não terá voltado contra o feiticeiro”.

- A propósito da negação da crise política, a crise de relacionamento político entre o Primeiro Ministro e a sua Ministra do Interior, apimentados com insultos pessoais, não será um dos sintomas que aparecem apenas algumas horas após a divulgação do tão mesquinho quanto mentiroso, comunicado da dita comissão permanente do partido do Cadogo no seio do PAIGC?

- No que concerne o pagamento de salários pelo governo do fórum, que a verdade seja dita: quando o Dr. Aristides Gomes tomou posse como Primeiro Ministro, encontrou 2 meses de salários em atraso deixados pelo governo do Sr. Carlos Gomes Junior na altura e deixando também o mesmo número de meses no momento da sua demissão. Quanto ao governo do pacto, a dita comissão permanente do PAIGC, tendo memória curta até ao ponto de esquecer que foi o próprio Sr. Carlos Gomes Junior quem assinou o Pacto, que resultou na formação do governo liderado pelo Eng. Martinho Ndafa Cabi.

Tendo em consideração a situação assim definida, assim como o facto do Senhor Carlos Gomes Junior e a sua dita comissão permanente, tentar esconder-se, de maneira sistemática em discursos desonestos, o Partido Republicano decide:

1- Exigir uma tomada de posição do governo , uma vez por todas, face aos assassinatos ocorridos no pais, condenando-os e colaborando com a justiça no sentido de o primeiro ministro, Sr. Carlos Gomes Junior dar explicações ao povo guineense sobre as circunstâncias dos mesmos.

2- Exigir esclarecimentos sobre as demais questões a propósito das quais, segundo a comunicação social, existem indícios de envolvimento do próprio primeiro ministro assim como de pessoas próximas a ele, nomeadamente:

a) Razão da sua recusa em ir a reunião convocada pelo ex-presidente Nino Vieira no dia 1 de Março de 2009, após assassinato monstruoso do General Tagme Nawaie;

b) Qual o nível de envolvimento do seu filho N’dundo nos casos 4 e 5 de Junho de 2009 que culminaram com as mortes de Helder Proença, Baciro Dabo e outros dois jovens;

c) Quem mandou espancar e torturar os ex-primeiros Ministros, Dr. Francisco José Fadul, Dr. Faustino Fudut M’bali e o Advogado, Dr. Pedro N’fanda?

d) O porquê da soltura do barco “Lamu star” com mais de 5000 kg de droga pura;

e) Pensa que o Povo da Guine-Bissau, já se esqueceu da sua história da destruição da DICOL e do Complexo da Bolola. Havemos de falar ao chegar a hora da verdade, “dia na tchiga nhu daresalam, nada de borgonha ossante”

Viva a Democracia!
Viva a Justica!
Viva o Partido Republicano.

Feito em Bissau 27 Outubro 2010

O Secretariado Nacional
"

Desiludido com...

"Oi Aly Silva,

Antes de tudo quero te dizer que não escrevo bem o português - sou francófono. Mas preciso dizer-te que o teu blog informa muito. Continua assim, quero também dizer, no que diz respeito à crise no Governo, que estou muito desiludido com o Primeiro-Ministro Carlos Gomes Jr., porque num estado de direito não se pode insultar um Ministro. Não estamos na ditadura e as mulheres deste país não mereciam isto. Por fim «IL VA RECOLTER CE QU'IL A SEME*.»
Suleimane S.
"

(*) - «Ele (Cadogo) vai colher o que semeou»

NOTA: Obrigado, amigo. O teu português, deixa-me que te diga, supera o de muitoooos guineenses, a milhas! Abraço, AAS

«Movimento Radical»

"Grande Aly


Mantenhas


Tenho seguido a tua saga com o governo gambiano. Realmente é uma pena que a "honrosa" Gâmbia, que disponibilizou uma frota de mais de 20 carros para apoiar a Guiné-Bissau na realização da cimeira da CPLP, em 2006, que ostenta uma frota de carros oficiais de ultimo modelo, não seja capaz de pagar o conserto de um acidente provocado por um carro oficial do governo (o mesmo que dizer santos da casa não fazem milagres).

Se fosse para oferecer alguns carros ao país pedinte que somos, acredito que seriam capazes de doar mais de uma dezena de veículos novos. Mas corrigir uma irresponsabilidade, como se diz na gíria popular... "está quieto, ó preto!"

Estou de acordo contigo de que isto não pode ser deixado passar em branco. Pessoas dignas assumem os seus compromissos, pessoas de palavra, honram os seus engajamentos e pessoas com decência, reparam os erros cometidos. Na ideia de fazer alguma coisa sugiro que tornes esta irresponsabilidade e falta de decência da Gâmbia numa vergonha internacional para a Gâmbia.

Aconselho-te a escreveres uma carta (para além das já escritas), ao ministério do Turismo gambiano (na qualidade de responsavél da viatura que bateu no teu carro).
Uma segunda correspondência aos orgãos da CEDEAO e União Africana (anexando todas as correnpondências já enviadas inclusive para o nosso mistérioso ministério dos negócios obscuros) e por último às Nações Unidas, sendo a "Gâmbia" um país pertencente a esta magna organização, espelhando a "bandidagem" de um Estado policial, que se esconde por detrás da segurança de Estado para fugir a uma factura que acredito que não ultrapassa o budget que se gasta numa semana na embaixada da Gâmbia em Bissau.

Existe um directório da CIA, onde são publicados os nomes de todos os responsáveis de governo do mundo, onde poderás sacar o nome do ministro bandido que não quer se responsabilizar. (world Leaders): https://www.cia.gov/library/publications/world-leaders-1/world-leaders-g/gambia-the.html
Obs:
Não deverá ser difícil encontrar os endereços das outras instâncias regionais (CEDEAO e União Africana)


Mantenhas


C.H.
"

NOTA: Obrigado, amigo. A Gâmbia nem supõe o que está para vir... sinta bu sukuta... AAS

Embaixada da Gâmbia: Não há ministério que vos possa valer! Paguem e ponto final. AAS

quinta-feira, 28 de Outubro de 2010

São números: «Visualizações de páginas de hoje: 5.083 / Visualizações de páginas de ontem: 6.854»

Sr. Soares Sambú, Conselheiro Político e... DIPLOMÁTICO (!?)... do Presidente da República... já disparei um tiro na Embaixada da Gâmbia...

NOTA de ENTRADA: Disparei o primeiro TIRO na Embaixada da Gâmbia, há 10 minutos... mais tiros virão. Cancelei a minha ida a Dakar, hoje, para resolver de vez o meu problema.

Sr. Conselheiro Soares Sambú

Photobucket


Há mais ou menos 1 mês que V. não atende os meus telefonemas. Não sei porquê, e também não vou perder sono a pensar nisso. Posto isto, vamos ao que realmente interessa.

V. sabe tudo sobre o que me aconteceu na jangada do porto da Gâmbia em 11 de julho de 2010 - para além de ler o meu blog. Sei também, por interposta pessoa, que você tomos conhecimento do caso. Embora não tenha feito nada. Absloutamente NADA! E ainda assim é V o Conselheiro Político e Diplomático do Presidente da República - essa é que é a verdade. Entendo-o, Sr. Conselheiro: há fogos maiores por apagar...

Pois bem, mas parece que V. ignorou, tal como a Presidência da República, a Primatura, o Ministério do Interior e o dos Negócios Estrangeiros (esse, anda na boa vida, em viagens e mais viagens, como se a Guiné-Bissau não tivesse mais Embaixadas na Europa...) - ignoraram todos o meu problema.

MAS QUANDO ACORDAR, sr Conselheiro...será tarde demais. Como já escrevi, hoje dei o PRIMEIRO TIRO na Embaixada da Gâmbia. Acertei em alguém? No carro do Embaixador Djila? Não sei, eles estarão a esta hora na polícia a dar conta do sucedido... E eu? Eu estou-me nas tintas (para não dizer a CAGAR para um possível conflito diplomático com o Estado (TRAPACEIRO) da Gâmbia, cujo PRESIDENTE YAYA JAHMEH diz CURAR A SIDA (AIDS).

Hoje, tomei esta medida: chamei alguém para fazer uma chave nova, e retirei o meu carro da porta da Embaixada (de aldrabões) da Gâmbia. O meu carro NÃO tem de apanhar por tabela. Os carros da Embaixada da Gâmbia é que são o alvo...

Quero que a Embaixada da Gâmbia se foda, bem como o seu Presidente feiticeiro - YAYA JAHMEH.

Tenho escrito, António Aly Siva

Mesmo 'suspensa', e com substituto... Ministra do Interior visita esquadra do Bairro Militar...

Assim... Acho que o 1º Ministro deve 'suspender' também o ministro Oliveira Sanca... Por este o ter desrespeitado e por não ter 'tomado' o Ministério do Interior... Qual doido mesmo é que tem 'cojones' para ocupar o lugar da Ministra Hadja Camará?
Nin-guém. Ki dudu ka padidu inda... AAS

INFORMAÇÃO: Retirei agora mesmo o meu carro da porta da Embaixada da Merda da Gâmbia. A revolução tomará outro rumo... AAS

Ah, ah, ah... A Gâmbia tem agora polícia `a porta. FUCK the Gambia, Fuck Yaya Jahmeh and the Embassy of The Gambia in Bissau

quarta-feira, 27 de Outubro de 2010

ÚLTIMA HORA/Crise no Governo: A crise está em banho-maria, e no Ministério do Interior quem reina é a Ministra Adja Camará. AAS

Perguntam: como vai acabar esta crise. Respondo: jogo triplas. 1 X 2. Feliz djumbulumani... AAS

Quem me dera...

À primeira vista, 'guerra das rosas', de Camané, começa com uma zanga a prometer:

"Partiste sem dizer adeus nem nada
Voltaste e nem desculpa pediste
Perguntaste porque que é que eu tinha chorado
Eu respondi, mas quando vi que sorriste,
Eu disse que estava triste, porque tu tinhas voltado!

Zangada esvaziaste o meu armário
e em nada ficou o meu disco preferido...


Segue-se, depois, um 'rol de vinganças e torturas', de duas pessoas que um dia se prometeram um ao outro, acabando como tantas discussões, arrufos e birras:

... No escuro tu insistes que eu não presto
Eu juro que falta a parte melhor
Um beijo acaba com o teu protesto
Amanhã conto-te o resto.. boa noite meu amor
"

Lá está, coisas simples, do amor e dos dias. Como o nome do álbum AAS

E ainda o dia vai a meio...

Visualizações de páginas de hoje
3 649

Visualizações de página de ontem
3 670

Visualizações de páginas no último mês
188 993

Nô pintcha

EXCLUSIVO/Crise no Governo: Presidente da República recebeu já o Despacho do Primeiro-Ministro. Mas não vai exonerar a Ministra do Interior. AAS

Primeiro-ministro da Guiné-Bissau poderá ser vítima de conflito com a ministra do Interior

Jornal «Público», Portugal

"O lugar de Carlos Gomes Júnior à frente do Governo da Guiné-Bissau poderá estar em risco, depois de a ministra do Interior, Adja Satú Camará, não ter aceite o despacho em que ele a suspendeu de funções.

Integrada no executivo por indicação expressa do Presidente da República, Malam Bacai Sanhá, a ministra decidiu fazer algumas nomeações de pessoal (oficiais superiores) sem consultar Carlos Gomes Júnior, presidente do partido maioritário, PAIGC, mas com o seu poder muito enfraquecido desde que em 1 de Abril chegou a estar sequestrado por um grupo de militares, sob o comando do general António Indjai. A dada altura, este ameaçou mesmo matá-lo.

“O comportamento da ministra do Interior configura um claro desafio à autoridade do primeiro-ministro, ao permitir-se desobedecer-lhe ostensivamente, atitude imperdoável”, diz um despacho de Carlos Gomes Júnior, revelado pelo blogue “Ditadura do Consenso”, que tem acompanhado a par e passo todo este processo.

Devido à rebelião de Adja Satú Camará, uma das militantes mais poderosas do histórico PAIGC, o fragilizado primeiro-ministro suspendeu-a imediatamente das funções, “enquanto se aguarda a sua exoneração pelo Presidente”, que entretanto se sentiu mal durante o fim-de-semana e tem estado nos últimos dias a ser observado no vizinho Senegal, de onde se espera que possa regressar num dos próximos dias.

O ministro da Administração Territorial, Luís Oliveira Sanca, acumularia com as suas funções as de titular do ministério do Interior, segundo o desejo de Carlos Gomes Júnior.

Durante a discussão acalorada que houve entre o primeiro-ministro e Adja Satú Camará, e em que esta teria rasgado o despacho em que era suspensa (segundo contou ao PÚBLICO uma fonte que acompanha regularmente a situação política em Bissau), Carlos Gomes Júnior manifestou-se disposto a esbofetear a ministra, no que foi impedido pelo ministro do Comércio, Botché Candé, conforme conta o referido blogue, da autoria do jornalista António Aly Silva.

Uma vez que Adja Satú Camará Pinto, segunda vice-presidente do PAIGC, é uma das pessoas da confiança do chefe de Estado, a sua suspensão, conforme já foi referido pela BBC, poderá ser encarada como mais um episódio da guerra latente entre Carlos Gomes Júnior e Malam Bacai Sanhá, cuja coexistência tem vindo a ser muito atribulada, apesar dos desmentidos que ambos ocasionalmente têm feito sobre o enorme conflito de interesses que os separa.

A ministra que não aceitou ser suspensa já esteve reunida tanto com o general Indjai, chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, como com o contra-almirante Bubo Na Tchuto, chefe do Estado-Maior da Armada, nesta altura os dois militares mais poderosos da Guiné-Bissau e sem cuja concordância parece que nada se faz. Há quem os considere mesmo o poder “de facto”. E é por isso mesmo que se admite nos meios políticos de Bissau que Carlos Gomes Júnior não se aguente por muito mais tempo nas funções de primeiro-ministro.

Durante a próxima semana deverá efectuar-se um Conselho de Estado, de modo a encontrar saída para uma situação de conflituosidade que parece insustentável.
"

Por: Jorge Heitor

ÚLTIMA HORA: Reunião do Conselho de Estado, adiada para a próxima 5a feira, dia 4 de Novembro.

ÚLTIMA HORA: Presidente Abdoulaye Wade visitou PR Bacai Sanha ontem à noite. Ali Bongo, PR do Gabão, enviou mensagem de apoio. AAS

ÚLTIMA HORA/Crise no Governo: CEMGFA António Indjai, está reunido na Primatura com o Primeiro-Ministro. AAS

terça-feira, 26 de Outubro de 2010

Crise no Governo - Primeiro-Ministro ameaçou Ministra do Interior: "Levas já um estalo!"

O que se passou, hoje, na Presidência do Conselho de Ministros, mostra que os guineenses que nos governam ainda não estão preparados para isso.

A lei orgânica do Ministério do Interior é clara: admite três comissários nacionais adjuntos (Operações e Segurança, Recursos Humanos e Logística).
No seu artigo 45, ponto número 3 diz que a Ministra do Interior é quem os nomeia, sem passar pelo Conselho de Ministros.

Por força do artigo 44, o Comissário Nacional da Polícia de Ordem Pública é nomeado por despacho conjunto do Primeiro-Ministro e do ministro da tutela (neste caso, da Ministra do Interior).

Hadja Satu Camará, não terá violado nenhuma lei. Ainda por cima, tinha avisado o PM da remodelação que ia efectuar no ministério que tutela.

Ontem, a ministra foi ter com o PM para lhe pôr ao corrente das mudanças. E este pediu-lhe que parasse tudo. E aí começou tudo.

Na discussão acalorada que se seguiu, os dois travaram-se de razões e quase iam chegando a vias de facto. "Levas já um estalo", terá dito o PM à Ministra. Levantou-se mesmo na sua direcção, mas foi impedido pelo coronel Buota Nanbatcha.

"Deixa esses bandidos (referia-se a Serifo Mané, oficial superior dos serviços de inteligência e director-geral adjunto do SIE - Serviços de Informação do Estado; e aos conselheiros da Ministra - Marcelino Cabral 'Djoy' e o engº Braima Djassi).

A ministra continua no cargo. Aguarda-se a chegada ao País do Presidente da República, Malam Bacai Sanha, o que deverá acontecer na próxima quinta-feira. AAS

EXCLUSIVO/Crise no Governo: O despacho que precipitou o '26 de Outubro'

Photobucket

"Primeiro Ministro


Despacho

Por meu despacho de 24 de Julho de 2009 determinei que ficassem suspensas todas as promoções, tanto no seio das forças Armadas como no âmbito do Ministério do Interior, isso para não perturbar ou prejudicar o processo de reforma em curso no Sector da Defesa e Segurança.

A Senhora Ministra do Interior tinha perfeito conhecimento desse Despacho e, não obstante, entendeu dever fazer várias nomeações de pessoal (Oficiais Superiores) ao nível do seu Ministério, e até propunha-se conferir-lhes posse ainda hoje, tudo sem conhecimento prévio do Primeiro-Ministro.

É da praxe – e a Senhora Ministra sabe-o bem – que se tem de concertar sempre com o Primeiro-Ministro as nomeações e promoções de pessoal com certo estatuto, como é o caso.

O comportamento da Ministra do Interior configura um claro desafio à autoridade do Primeiro-Ministro, ao permitir-se desobedecê-lo ostensivamente, atitude imperdoável e que não se coaduna com as responsabilidades de um membro do Governo.

Assim, e porque tal facto merece a devida correcção, determino o seguinte:

1. Fica imediatamente suspensa das suas funções a Ministra do Interior, Hadja Satú Camará Pinto, situação que se manterá enquanto se aguarda sua exoneração por Sua Excelência o Senhor Presidente da República, sob proposta do Primeiro-Ministro.

2. O Ministro da Administração Territorial, Dr. Luís Oliveira Sanca, acumulará, entretanto, com as suas funções, as do Ministro do Interior.

3. Transmita-se o presente Despacho para conhecimento de Sua Excelência o Senhor Presidente da República e dos Ministros acima referidos.

Cumpra-se

Bissau, 26 de Outubro de 2010

O Primeiro-Ministro,

Carlos Gomes Júnior
"

Ops... Segundo a notícia do Repórter RTP-África, «as crianças procuram ferro-velho para vender na «xucata'»

... Não haverá, na delegação da RTP, em Bissau, alguém que saiba o português para corrigir os textos?! «Xucata»? ou sucata?!! É claro que fico chateado, pá... AAS

ÚLTIMA HORA/Crise no Governo: CEMA Bubo Na Tchuto, está reunido com Ministra da Administração Interna. AAS

Crise no Governo: Ministra do Interior recusou receber ordem de suspensão

Hadja Satú Camará, ministra da Administração Interna, recusou receber o despacho do Primeiro-Ministro que a suspende das suas funções. Por uma simples razão: ela não existe no nosse regime.
Para o seu lugar, Cadogo nomeou Oliveira Sanca, que acumularia, assim, com o de ministro da Administração Territorial.
E Hadja Satú Camará já disse que não abandona as instalações do ministério que tutela. Os militares já fizeram a sua aparição. Just in case. É caso para dizer: No ministério do Interior, contam-se espingardas... AAS

ÚLTIMA HORA: Crise no Governo - Ministra da Administração Interna está neste momento reunida com o CEMGFA António Indjai. AAS

Crise no Governo: Primatura a ferro e fogo

... Que houve bronca da boa, na Primatura, entre o Primeiro-Ministro e a sua ministra do Interior, Adja Satu Camara, disso não haja dúvidas...
Consta que na propalada mas sempre adiada remodelação governamental, o PM quer tirar a ministra do Interior e para o lugar desta nomear o actual ministro do Comércio (e de djidiundadi) Botche Candé.
Palavras como "bandido", "assassino", "agente português", entre outras foram ditas alto e bom som. Ouviu quem estava presente na sala. E nos corredores. AAS

Exclusivo: BOAD injecta 11 mil milhões na Guiné-Telecom e na Guinétel

O BOAD (Banco Oeste Africano para o Desenvolvimento) será o investidor-mor na Guiné-Telecom.
Segundo apurou o DC, a empresa Guinétel será uma filial da GT. O BOAD conta investir cerca de 8 mil milhões de Fcfa, e 3 mil milhões na Guinétel. E, obviamente, será a BOAD a designar um administrador. Quinta-feira haverá uma reunião do Conselho de Administração, onde tudo ficará esclarecido. AAS

Brincalhões & Delinquentes

Sobre um e-mail que recebi agorinha mesmo.

"A resposta é 'não' para todas as questões.
- Eu não me dou com ninguém que tenha apontado uma arma, ainda que de plástico, a alguém;
- Quase toda a gente que conheço já fez comentários desagradáveis, ou até insultuosos, quer sobre o Presidente da República quer sobre o Primeiro-Ministro. Se os primeiros são os brincalhões e os segundos os delinquentes, então torna-se-me claro que preciso de arranjar novos amigos;
- Deus (eu sou ateu, graças a Ele)... Diz-se que é omnipotente, omnisciente, omnipresente e, pasme-se, infinitamente bom. Contudo, permite ainda assim que haja tanto mal na Terra; estamos, portanto, perante o livre-arbítrio: Deus concede-nos (abôs, ami não) a liberdade, o homem desfruta dela como bem entender.
Bom, talvez seja mesmo por isso que Ele não intervém quando os homens se matam uns aos outros. Nem manda emissários para conversações. Nem sei se, lá de cima, vê tudo. O big-brother...

Estará explicada a existência do mal moral. Mas o mal natural explica-se...que tal, da mesma maneira? Vai apitando. AAS

Ecofinanças

Wait. É simples. Desde a tarde de ontem e durante toda a manhã de hoje até a esta hora em que vos escrevo: NÃO há energia no Ministério das Finanças...porque NÃO há dinheiro para comprar gasóleo. E o ministro está doente há uma semana.

Ou seja, o ministro das Finanças está pior do que o Presidente. Se nem um cheque consegue assinar... Ah, Guiné!!!
AAS

Alguém mandou calar Mário Cabral, o embaixador guineense em Dakar. E ainda bem... AAS

J'Go

Ontem, fui alertado por interposta pessoa: o facto de teres deixado o teu carro à porta da Embaixada da Gâmbia motivou uma reunião "ao mais alto nível. Vão pedir uma grua à APGB para o remover". E acham que eu dei um salto?

Nã, nã... Quem os tiver no sítio e bem grandes, faça o favor...

Que fique bem claro: a Gâmbia vai PAGAR tudo! Tudo mesmo. E o carro NÃO sai da porta da Embaixada! Isso é o que mais faltava. Posso muito bem com um Estado bandido; dois, serão demais...

Viajo na 5ª feira, e ainda que fique lá fora uma vida e mais seis meses, o arranjo do meu carro será PAGO pela Gâmbia. AAS

segunda-feira, 25 de Outubro de 2010

Astafurlai!

Photobucket

A reunião que juntou o Presidente da República, Malam Bacai Sanha, o Primeiro-Ministro, Carlos Gomes Jr e os ex-combatentes deixou uma marca: esta frase dita pelo PM. «Se este Governo for derrubado, regressarei nas próximas eleições feito um kankuran»... Ninguém respondeu. AAS

A propósito da partida

"Adorei a despedida, rumo a um outro Sul. Impressionou-me. JH"

E o porto de Buba?

"Ontem, 24 de Outubro, completou precisamente 2 anos após o lançamento da primeira pedra de construção de futuro porto de águas profundas de Buba. Até à data presente, ninguém se sabe o que é que passa com este projecto.

Bó Kontanu Ke Ku Na Passa...

Filipa G.
"

NOTA: Filipa, isso também eu sei - não se passa nada! Que tal? AAS

E Dakar aqui tão perto

"Não queria sequer sair do País" - então começe a reconstruir o que resta do hospital '3 de Agosto' e a dar condições aos hospitais nacionais, para que nós que não temos "couro" também possamos nos tratar quando adoeçemos.

"Ainda em Bissau, falámos com os médicos senegaleses e disseram-nos que não havia mal nenhum em o PR ir até Dakar". - Se os médicos senegaleses disseram, está dito! Mas e os médicos guineenses? Temos muitos que prestam, sabia?

Não há mal nenhum? Tem certeza?? Putz...

"(...)os seus próximos aconselharam-no a repousar mais uns dias na capital senegalesa."

Têm toda a razão...Bissau ka sta dritu!
ResNullius

Lar verde Sul

Quem me conhece sabe que não sou pessoa de desistir facilmente. Tenho, de resto, o empenho estampado no rosto.

Photobucket

Gosto deste País. Dez minutos depois de atravessar as suas fronteiras, começo a sentir arrepios. Bom, dez minutos talvez seja exagerado; Que sejam cinco. Mas de certeza que de trinta minutos não passa. Pessoalmente, tenho dificuldade em orgulhar-me das coisas que me acontecem por casualidade, mas como escreveu o Fernando Pessoa «o lugar onde se nasce é o lugar onde mais por acaso se está». Outra frase com a sua piada.

Eu nasci na Aldeia Formosa (actual Quebo). Tenho uma irmã enterrada no Quebo. Morreu com apenas três anos de idade. Já lá fui umas vezes, passei outras tantas sem parar e confesso que nem de uma nem de outra vez senti grande coisa. Não me vieram - ao contrário dos piegas - lágrimas aos olhos, nem me deu vontade de escrever contos. Nem sequer um poema.

Pouco me importa que milhão e meio de guineenses desconheça onde fica a vila do Quebo, ou quantos habitantes terá ou teve em tempos. Ou sequer se tem tradições, e já agora quais serão. Trata-se de um sítio, e pronto.

O facto de eu lá ter nascido - como de resto já adivinhava enquanto a minha querida Mãe andava comigo às voltas - não transformou Quebo num lugar especial, e é assim que está bem. Um sítio banal, aquele onde eu nasci. Não o trocaria por nenhum outro, mas por agora: vou-me embora. Vou para o outro Sul. E será sempre o eterno Sul cheio de estrelas e de noites intermináveis.

Abraço todos,

António Aly Silva

domingo, 24 de Outubro de 2010

"Lá conseguiram os vossos intentos"...

A frase, bem humorada, pertence a Malam Bacai Sanha, e foi dirigida aos seus conselheiros momentos antes de abandonar Bissau com destino a Dakar, num avião da Força Aérea Senegalesa.

Afinal, o Presidente da República não teve nenhuma crise cardíaca. O causador das febres altas que o PR começou a sentir ainda na noite de 22, atingindo 39 graus tem um nome: Quartem, indicado para combater o paludismo... mas desaconselhável a hepáticos.

Pessoas próximas do PR contactadas pelo DC afirmaram que Malam Bacai Sanha "não queria sequer sair do País", uma decisão comungada e apoiadda pela 1ª dama Mariama Sanha.

Contudo, e tratando-se do Presidente da República, o gabinete teve de agir e a velha máxima "mais vale prevenir que remediar", dá-lhes razão.

"Ainda em Bissau, falámos com os médicos senegaleses e disseram-nos que não havia mal nenhum em o PR ir até Dakar".

Hoje, a febre baixou consideravelmente e, por telefone o PR já diz que quer regressar amanhã (2ªfeira) ao País. Contudo, os seus próximos aconselharam-no a repousar mais uns dias na capital senegalesa. AAS

"Dear Colleagues"... O e-mail furioso de Joseph Mutaboba, proibindo a circulação "after mid night"

Photobucket

"Message on behalf of the Designated Official for Security for Guinea Bissau

(please make sure all staff receives this advisory)

Dear Colleagues

due to the recent reports of violent incidents that recurrently occur in some public places and the awareness about the local limitations on emergency response, I determine the following:

- No UN official vehicles should circulate after mid night (00:00 am) exception made for Medical or Security emergencies, Airport transportation or other Official business duly authorized.

- The following public places are considered as non safe for UN staff, therefore considered off-limits:

nightclub Sabura (Cupelon de cima)
nightclub Bambu (airport road)
nightclub Stop (Cupelon de baixo)
nightclub Lisboa 3 (Estrada de Bor)

- Also, UN staff members are strongly advised not to remain in any other similar places till very late in the evening - Emergency reactions time will be longer, therefore the effectiveness of the support will be lower.

- Finally, all UN staff members are invited to visit the Conduct and Discipline site (cdu.unlb.org)

Best Regards

Joseph Mutaboba
SRSG/DO
"

sábado, 23 de Outubro de 2010

Última Hora: Malam Bacai Sanha sofre crise cardíaca e será evacuado ainda esta tarde para Dakar. "Por precaução", diz a Presidência da República. AAS

Estado da Guiné-Bissau detém agora 100% das empresas Guiné-Telecom e Guinétel. AAS

Uma grande vitória para a Secretaria de Estado dos Transportes e Comunicações, sem margem para dúvidas. Agora, é preciso arrumar a casa (sobretudo deixar de construí-las...) e meter essa gente a trabalhar, caso contrário os tugas vão rir-se de nós quando anunciarmos ao mundo uma nova maneira de comunicar por... sinais de fumo! AAS

TAP volta a deixar passageiros com o coração nas mãos, e quase provoca motim a bordo

Photobucket

FOTO DR: O avião da TAP, ontem, na placa do aeroporto da Portela, em Lisboa, 40 minutos antes de descolar rumo a Bissau.

Digam o que disserem, eu gosto da TAP, e não é por acaso que estou sempre a falar dela. Posto isto, passemos à frente. Ontem, a transportadora de bandeira portuguesa voltou a sobressaltar os seus passageiros. Desta vez, porém, tudo aconteceu na placa do aeroporto de Lisboa aos olhos de todos (dos que gostam e dos que não gostam de andar de avião). Os passageiros foram chamados para o embarque e, qual não foi o seu espanto, quando viram carros de manutenção junto ao aparelho.

Alguns tentaram saber do que se tratava. Era um problema com o trem de aterragem. Um passageiro reclamou sobre a 'ética' da coisa. Ou seja, porque não deixaram os passageiros na sala de embarque até que o problema estivesse solucionado. E, para compor o ramalhete, já dentro do avião, um passageiro reclamou ao próprio comandante do aparelho por causa das condições na classe executiva.

O caldo entornou-se, com o comandante a ameaçar chamar a polícia. Os passageiros organizaram-se e gritaram 'banzai'. A polícia recuou, e o avião lá levantou voo, com cerca de 40 minutos de atraso. AAS

Reunião entre PR, PM e veteranos da luta de libertação terá condicionado a saída de Carlos Gomes Jr. para o Japão

A super-delegação guineense - da qual fazem parte futuros governantes - antecipou o Primeiro-Ministro na chegada ao Japão, mas o Primeiro-Ministro Carlos Gomes Jr., que era para seguir ontem, cancelou a viagem. A reunião que teve lugar na 4ª feira passada na Presidência da República, entre os veteranos da luta de libertação, o 1º Ministro e o Presidente da República não correu nada bem para o chefe do Executivo guineense.

Segundo apurou o Ditadura do Consenso junto de uma fonte presente na referida reunião, promovida por Manuel Saturnino da Costa (um incondicional de Carlos Gomes Jr.), as coisas chegaram a azedar-se mesmo quando começaram as acusações - de um e de outro lado. AAS

Só para chatear

- Segundo apurou o DC, a medida tomada pela UN - proibição de circulação de viaturas a partir da meia-noite - já surtiu efeito: só entre as 23:59 h de ontem até às 07:00h de hoje, foram poupados 12.000 litros de gasóleo. Contudo, os 'man in blue' prometem retaliar. Esperemos e oremos;

- Missão da UE para a reforma dos sectores da Defesa/Segurança (aquela que foi um "fiasco" e não um 'flop' - como eu previ) fugiu do País com o rabo entre as pernas. E com um chuto no rabo por parte de Angola. Desmontaram a tenda, e levaram o mobiliário e os carros (ou o que resta deles) para a sede da UE. AAS

sexta-feira, 22 de Outubro de 2010

Últimas

- Conselho de Ministros aprovou e envia para o Presidente da República, para promulgação, o nome do Coronel Augusto Mário para a chefia do Estado-Maior do Exército;

- Propõe condecorar com a medalha de mérito, as Senhoras Giuseppina Mazza, representante do PNUD, Ingrid da Plan Internacional e o sr. Franco Nulli, da União Europeia. Ambos terminam este ano a sua missão no País;

- Vários anos depois (duas missões), a delegada da RTP na Guiné-Bissau Marta Jorge, deixa Bissau na próxima 4ª feira;

-China fez hoje a entrega técnica (fim das obras) do Palácio do Governo, ao Ministro guineense das Obras Públicas, José António. São 76 gabinetes, mais a ala da Primatura. Em Novembro, o edifício estará totalmente apetrechado.

- Parece que o Oscar Barbosa (Cancan), conseguiu recuperar alguma coisa...a mala! Computador que é bom, nem vê-lo (e eu quero tanto esse computador. Amo-o mesmo!). AAS

"Malam Bacai Sanhá à beira da vitória"

Photobucket

"Pouco mais de um ano após a vitória nas eleições presidenciais, Malam Bacai Sanhá aproxima-se do momento de vitória no xadrez político na Guiné-Bissau. Acossado por todos os quadrantes políticos, o Primeiro Ministro Carlos Gomes Júnior está cada vez mais fragilizado, sem aliados políticos que lhe permitam inverter a derrota total do seu projecto de desenvolvimento para o país.

Quando Carlos Gomes Júnior, então recém-eleito Presidente do PAIGC, abdicou de se apresentar como candidato do partido às eleições presidenciais de 2009, «deu o flanco» ao reaparecimento das ambições de Malam Bacai Sanhá. Duas vezes derrotado, por Koumba Yalá e por ‘Nino’ Vieira, Malam Bacai soube aproveitar o erro estratégico de Cadogo para pôr em marcha o seu sonho político. Tornar a Guiné-Bissau num regime governativo de cariz presidencialista, à semelhança de França e Angola, e em simultâneo eliminar politicamente Carlos Gomes Júnior, adversário eterno no PAIGC e inimigo pessoal de estimação.

Malam Bacai nem teve de se esforçar muito para conseguir os seus objectivos. Apoiou-se em aliados de ocasião descartáveis, geriu a pressão da Comunidade Internacional, a instabilidade dos militares guineenses, a clivagem étnica e as ambições pessoais de personalidades políticas do PRS e PAIGC que com Carlos Gomes Júnior tinham sido remetidas a uma profunda escuridão.

O papel dos militares

Conhecedor da realidade da Guiné-Bissau, Carlos Gomes Júnior baseou a segurança do seu projecto político na única pessoa que lhe poderia dar essas garantias de estabilidade, o então Chefe de Estado Maior, Zamora Induta. As movimentações dos militares de 01 de Abril, lideradas pelo revoltoso António Indjai, foi o primeiro passo de Malam.

O Presidente persuadiu António Indjai a virar-se contra Zamora, o que aliado à ameaça de detenção por envolvimento na aterragem de um avião relacionado com o narcotráfico em Cufar em 01 Março, originou no vice-CEMGFA uma «fuga para a frente», detendo o seu superior.

Com Zamora fora de jogo, Carlos Gomes Júnior conseguiu ainda assim manter-se no poder, fruto da forte pressão da Comunidade Internacional em defesa do respeito da ordem constitucional. Malam não terá perdoado a Carlos Gomes Júnior este apoio internacional, que se traduziu na prática numa crítica à participação conivente do Presidente nos acontecimentos de 01 de Abril.

As movimentações militares tiveram também por consequência a libertação de Bubo Na Tchuto das instalações da ONU em Bissau. Classificado como narcotraficante pelo Departamento do Tesouro dos EUA, o regresso de Bubo a Bissau, em Dezembro de 2009, teve desde o início a complacência de Malam. O Presidente depressa percebeu que o poder democrático em Bissau está na ponta das espingardas, usando a questão Bubo, visto como o herdeiro militar dos balantas, etnia maioritária nas Forças Armadas guineenses, para agradar às chefias militares no país.

Durante os cerca de cinco meses em que esteve refugiado no edifício da ONU em Bissau, Bubo manteve contactos regulares telefónicos com Soares Sambú, conselheiro presidencial para assuntos diplomáticos. Sambú foi o intermediário dos contactos proibidos entre Malam e Bubo, concertando as posições que permitiram as movimentações militares de Abril.

Além dos contactos com Bubo, Sambú foi também o responsável pela crescente entrada na Guiné-Bissau de Angola. Os investimentos nos fosfatos e bauxite, negociados por “Nino” Vieira e Manecas dos Santos, agora nomeado Embaixador guineense em Luanda, e o anunciado envio de um contingente militar independente para a Reforma das Forças de Segurança guineense, são sinais claros da vontade intervencionista angolana na Guiné-Bissau.

Sambú, «o intermediário», terá tido a responsabilidade de convencer Malam Bacai de que estas iniciativas angolanas seriam uma vantagem para a estratégia política do Presidente. Dinheiro, apoio internacional e uma guarda pretoriana mascarada de força de estabilização foram os argumentos irrecusáveis. Fica por saber o preço a pagar pelo Presidente, conhecedor das regras de um jogo de estratégia onde nada se oferece e tudo se paga. E tudo a seu tempo.

O Governo sombra

O papel dos conselheiros presidenciais foi fundamental para a vitória política que Malam se prepara agora para reclamar. Soares Sambú e Braima Camará terão sido os mais activos nos contactos políticos e militares, demonstrando uma fidelidade canina para com os objectivos do Presidente. Mas Malam poderá também ser também vítima do seu próprio jogo.

Sambú e Camará assumiram-se desde o início do mandato de Malam como uma espécie de Primeiros-Ministros «sombra» de Carlos Gomes Júnior. Ambos são conhecedores do débil estado de saúde de Malam, que sofre de diabetes, crónicas crises de hipertensão, e suspeitas de cirrose. A constante instabilidade guineense não terá ajudado em nada à saúde do Presidente.

Sambú e Camará sabem que a breve prazo Malam terá de ceder a alguém a sua influência no PAIGC e no país. Ambos se posicionaram para ocupar os lugares de principais candidatos a assaltar a herança presidencial. Mas sabem também que para reclamar o poder terão de eliminar politicamente Carlos Gomes Júnior.

O futuro político de Carlos Gomes Júnior joga-se ainda em dois tabuleiros. Por um lado, num PAIGC dividido em múltiplas alas de influência distintas. Por outro, num PRS de maioria balanta que pretende regressar ao poder o mais rápido possível, contando para isso com o apoio dos militares guineenses.

Ambos os grupos têm objectivos finais diferentes, mas com o obstáculo comum Carlos Gomes Júnior. Malam Bacai Sanhá tem sabido instrumentalizar os ressentimentos comuns dos dois grupos para criar uma frente de ataque ao Primeiro-Ministro, cada vez mais isolado politicamente.

A campanha de ataques a Carlos Gomes Júnior da última semana levou a que em Bissau se fale já numa «frente unida» contra o Primeiro-Ministro. Provavelmente, será esta a fase de ensaios do que se espera vir a ser o Governo de Iniciativa presidencial pós-Carlos Gomes Júnior, unindo as várias forças políticas, nos últimos anos colocadas à margem face aos bons registos de Governação do Executivo de Carlos Gomes Júnior.

O futuro da Guiné-Bissau

Paradoxalmente, a boa Governação e a melhoria de condições de vida na Guiné-Bissau terão motivado o principal erro estratégico de Carlos Gomes Júnior. Apoiado pela Comunidade Internacional devido à sua política de reformas, o Primeiro-Ministro terá confiado que a pressão externa seria suficiente para garantir a sua segurança no cargo, menosprezando as engrenagens políticas internas.

Com o abrandar da pressão da Comunidade Internacional sobre as autoridades da Guiné-Bissau, Carlos Gomes Júnior deu espaço de manobra a Malam para implementar a fase final da sua estratégia.

A nomeação de Bubo Na Tchuto como CEMA, no final de Setembro, teve o efeito de acalmar os militares, que viam no Presidente o principal obstáculo ao verdadeiro líder militar guineense. Com o decreto presidencial de nomeação, Malam recuperou a sua imagem aos olhos dos militares, detentores do real poder no país, e isolou Carlos Gomes Júnior daquele que poderia vir a ser o seu novo aliado militar complexo xadrez político guineense. Bubo regressa assim em força à liderança do país, preparando-se para impor as suas ordens e vontades até aos seus superiores.

No meio deste xadrez político-militar, o suposto «homem forte» António Indjai tornou-se num mero peão descartável, sentindo o poder fugir-lhe das mãos. Indjai sabe que com Bubo no comando da Marinha e da unidade de Fuzileiros a recuperação da saúde financeira do CEMA não demorará muito. E na Guiné-Bissau, com o dinheiro vêm também as fidelidades, o controlo das redes de influência e o poder real. Indjai sabe agora que o seu afastamento do cargo de CEMGFA é uma mera formalidade e uma questão de tempo.

Zamora Induta, António Indjai, Bubo Na Tchuto, Soares Sambú, Braima Camará, Koumba Yala. Todos actores de uma estratégia montada por Malam Bacai Sanhá contra Carlos Gomes Júnior. Todas as peças encaixaram de forma perfeita sem que nenhuma das promessas feitas à Comunidade Internacional tenha sido cumprida. Malam prepara-se para ocupar o trono, sabendo que na Guiné-Bissau o poder tem tanto de embriagante como de efémero.
"

Rodrigo Nunes

rodrigo.nunes@pnn.pt

Carros da UNIOGBIS (UN) proibidos de circular a partir da meia-noite.... AAS

Depois da denúncia do DC sobre a pancadaria da semana passada, na zona dos coqueiros, Joseph Mutaboba decidiu agir.

A notícia chegou mesmo à sede das Nações Unidas, em Nova Iorque. Agora, um 'edital' da UNIOGBIS "proibe a circulação de todos os carros do sistema (com UN na porta) a partir das 24 horas.

Photobucket

Mas há mais. Há uma lista negra de estabelecimentos, onde ninguém das NU pode ser visto, não importa a hora:

- Discotecas 'Bambu', 'Sabura', 'Stop' e 'Lisboa 3'.

Ditadura do Consenso vai certificar se as ordens da Mutaboba serão cumpridas, e pede a colaboração dos leitores:

Se virem uma viatura com a escrita UN a negro na porta, depois da meia-noite... Fotografem e façam por apanhar a matrícula...

É caso para dizer Ditadura do Consenso 1 - UNIOGBIS 0... AAS

O Ministro dos Negócios Estrangeiros, Adelino Mano Queta está em todas, em grande, e... amarelado!!! (e isso é mau)

"Meu caro Aly,

Relativamente ao assunto da filha do Ministro guineense dos Negócios Estrangeiros, digo-te, e aos guineenses espalhados pelo mundo, isto:

Photobucket

A advogada continua em Bissau, mas com o vencimento a correr com uma regularidade pendular, aqui, em Lisboa. Quem o vem levantar é o tio, um irmão do pai da dita cuja. Numa atitude insólita e inédita deixou um amigo que, segundo informações fidedignas, ainda é estudante, para substitui-la nas suas dilatadas ausências, facto que não deve constar por certo nas cláusulas contratuais que a mesma subscreveu e que era suposto
respeitar.

Infelizmente estamos num País onde a lei não passa de letra morta. Logo que assumiu as funções mandou afetar um sobrinho sem que houvesse necessidade para tal. Isto foi tranformado numa coutada do Sr. Ministro Adelino Mano Queta. É caso para dizer estamos entregues à bicharada... Muito obrigado pela atenção que este e-mail lhe possa merecer.


Anónimo

NOTA: Obrigado, e manda sempre. Vamos todos torcer para termos um bom fim-de-semana. AAS

Ao Estado da Guiné-Bissau: chamem a Gâmbia e EXIJAM RESPONSABILIDADES!!!! AAS

Photobucket


Faz 5 dias que o meu carro está estacionado em frente à Embaixada da Gâmbia. Hoje, fui colar uns recados no vidro... Não querem ver as consequências da vossa CEGUEIRA, mas quando acordarem, um dia, será tarde... AAS

quinta-feira, 21 de Outubro de 2010

Ao Estado da Guiné-Bissau:

Párem de bater punhetas à Gâmbia, e obriguem-na a assumir as suas responsabilidades.


- Eu tinha um seguro CEDEAO na altura do acidente;
- Os ocupantes do carro do Ministro do Turismo da Gâmbia, recusaram chamar a polícia alegando que o carro «é do Estado»;
- O acidente aconteceu no dia 11 de julho, e estamos no mês de outubro;
- A Embaixada da Gâmbia informou o seu País, eles confirmaram que houve acidente;
- Entreguei na Embaixada da Gâmbia uma factura proforma da Oficina Dolfi, para o arranjo do carro (peças a serem compradas em Portugal).

Um ÚLTIMO aviso às autoridades da Guiné-Bissau - Aos ministérios dos Negócios Estrangeiros, e da Administração Interna (QUE POR DÁ CÁ AQUELA PALHA MANDAM PRENDER-ME):

ESTOU-ME NAS TINTAS PARA UM POSSÍVEL CONFLITO DIPLOMÁTICO QUE POSSAM VIR A TER COM O ESTADO DA GÂMBIA. EU NÃO SOU DIPLOMATA!

A PARTIR DE AMANHÃ, VOU ESTACIONAR O MEU CARRO NO PASSEIO DA EMBAIXADA, BLOQUEANDO A ENTRADA. O EMBAIXADOR QUE ENTRE PELA GARAGEM. VOU IGUALMENTE PASSAR A SEGUIR O EMBAIXADOR DA GÂMBIA PARA ONDE QUER QUE VÁ, E VOU BUZINAR, E BUZINAR E BUZINAR.

António Aly Silva

quarta-feira, 20 de Outubro de 2010

Descaramento de General

"Olá Aly,
Este General (Esteban Verastegui) ainda tem o descaramento de dizer que a Missão para a reforma dos sectores da Defesa e Segurança foi um fiasco. Enfim!
M.R."


NOTA: Olá. Enfim! Ainda bem que não foi um flop... AAS

"Acabámos mal" (eu bem avisei)

A União Europeia (UE) não vai restabelecer uma missão na Guiné-Bissau depois do "fiasco" em que terminou a presença no País e porque vários dos 27 países da UE consideram que foi um "esforço perdido e sem resultados", afirmou o ex-chefe dessa missão, o General espanhol Juan Esteban Verastegui.

"Foi um fiasco porque acabámos mal. A UE saiu do País, a missão fechou e a nova não arrancará. E mesmo que tenhamos feito alguma coisa, não fizemos mais que o primeiro capítulo de um longo processo". Agência LUSA

NOTA: Eu avisei bem cedo que essa missão seria um flop. Ainda bem que náo passou de um fiasco... O Estado da Guiné-Bissau tem de submeter-se a opiniões jocosas... AAS

Será o absurdo... Inconstitucional?

Photobucket

Cerca de um milhão, quinhentos e noventa e nove mil guineenses ainda não perceberam patavina do que temos assistido. Falo da guerrilha, quase em surdina, entre a Presidência da República e a Primatura, ou, se quiserem entre o Presidente da República, Malam Bacai Sanha e o Primeiro-Ministro, Carlos Gomes Jr. É evidente que os dois não se aturam, nem um bocadinho mesmo.

Começou a desenhar-se em Gabú, regressou depois para a sede dos libertadores, para a sua aprovação e efectivação; agudizou-se pouco depois, na França, com a famosa declaração do PR Bacai Sanha à Jeune Afrique: «Há políticos envolvidos nos assassinatos políticos (de 2009)». Para além desta frase cair que nem uma bomba, ela disse outra verdade: qualquer assassinato neste País foi encomendado por políticos!!! Nem mais.

Na altura, contudo, muitos protestaram dizendo que o PR não podia fazer essa declaração. Mas, olhem que podia... O PR (tocaria a qualquer um de nós) quando fez essa declaração não estava coberto pelo segredo de Justiça. Essa é que é a verdade. Hoje, contudo, o PR não a faria.

A crueza que muitos viram na declaração do PR tem no entanto uma explicação. O Primeiro-Ministro terá ofendido o Presidente da República quando este foi designado candidato à Presidência da República pelo PAIGC. Na altura, a frase de Cadogo Jr entrou para a história do dicionário político/anedotário nacional: «Bom, depois não me venham pedir dinheiro para o tambor». E ainda pelo 'caso Frente Polisário' na tomada de posse de Bacai, que levou à demissão de Cancan do Ministério que tutelava - o dos Recursos Naturais.

O PR ter-se-á então vingado, dizendo a verdade ao povo guineense, sobre aquilo que leu na França. Pode até questionar, caro(a) leitor(a), se a provocação do PM foi perversa, ou se a resposta (ou troco) do PR foi de uma maldade desproporcionada.

Resta ao PM a consolação de, pelo menos, ter tentado fazer a vida negra ao PR; o PR, por seu lado, defendeu-se muito bem. Ambos baralham-se. Se o PM diz uma coisa e pratica outra, o PR diz outra coisa e pratica exactamente o inverso. E acabam por nos baralhar.

Contudo, ambos já se devem ter dado conta de que, na Guiné-Bissau, o absurdo não é inconstitucional. E, sim, é possível que tenham as suas razões. Caros Presidente da República e Primeiro-Ministro: pela primeira vez estou de acordo convosco.

Consensualmente, António Aly Silva

Três dias depois...

Photobucket

... O meu carro continua - orgulhosamente só - à porta da Embaixada da Gâmbia. Kabeça ka na del... AAS

EXCLUSIVO: Enquanto os cães ladram...

Photobucket
FOTO: AAS/DR

... O Coronel Manuel dos Santos (Manecas) é o próximo Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário da República da Guiné-Bissau na República de Angola. AAS

Exmo. Sr. Ladrão do computador do Cancan: estou disponível para dormir com a sua mulher!

Escrevo-lhe na esperança de que me possa ler. Ou, ainda, que alguém leia isto e lhe transmita.

Imaginas, Sr. Ladrão o que porventura vai por aí? Anda tudo à sua procura: a Judiciária, a Interpol e, segundo me constou, até já convidaram a melhor força policial da Frente Polisário.

Querem deitar-te a mão. Eu apenas quero deitar a mão ao computador do Cancan. E, se possível, gostava de dormir com a sua mulher (do Sr. Ladrão, claro).

Gostava de o conhecer, brilhante ladrão! Sabia que o computador do Cancan era o maior partido de oposição dentro do PAIGC? Não? Compreendo. Nem todos os ladrões sabem ler, embora muitos usem fato e gravata.

Este, é o outubro do seu descontentamento (do Cancan). E para si, Sr. Ladão, presumo, o contentamento deve ser...total!

Mantenho a oferta: 1.000.000 fcfa. Seku kan! Só para eu copiar o disco. Depois, bom, depois... nô ta kunsa ku korda sintidu! AAS

Um Oscar para o ladrão do Cancan

O carro do porta-voz do PAIGC, Oscar Barbosa, Cancan, foi ontem assaltado à porta de sua casa: levaram o computador portátil, uma pen disk e a sua mala. Há quem diga que Cancan parece uma barata tonta...e compreende-se.

Ditadura do Consenso oferece ao larápio 1.000.000 fcfa só para passar o computador a pente fino.

E agora, sr. korda sintidu? Como enviará os seus venenos para Portugal? Se precisar de um portátil, disponha... AAS

terça-feira, 19 de Outubro de 2010

Última (normalmente é a que sabe melhor...)

Acabei de escrever e enviar as respostas da entrevista que concedi à Global Voices - um site que tem como principal tarefa, a recolha e filtragem de notícias de blogs de todo o mundo.

A Sara contactou-me há uns dias atrás, de Timor, enviou as perguntas ontem e eu respondi esta noite. Devo referir que a GlobalVoices tem acompanhado o ditadura do consenso há muito tempo, com algum destaque até.

Enquanto editor do blog, agradeço a oportunidade dada. E aos leitores de um e do outro: que nos continuem a ler. AAS

segunda-feira, 18 de Outubro de 2010

Manuel Saturnino promove encontro entre veteranos da luta armada, Malam Bacai Sanha e Carlos Gomes Jr

A Presidência da República será palco, dia 20, quarta-feira, de uma reunião promovida pelo Coronel Manuel Saturnino da Costa. Veteranos da luta de libertação terão na sua frente o Presidente da República, Malam Bacai Sanha, e o Primeiro-Ministro, Carlos Gomes Jr. O encontro acontece numa altura em que a situação política no País está ao rubro, mas não por culpa minha... AAS

PRS, em comunicado:

- Exige a divulgação dos relatórios relativos aos assassinatos políticos;
- Pede a demissão do Primeiro-Ministro, Carlos Gomes Jr;
- Responsabiliza o Presidente da República, Malam Bacai Sanha, pela continuidade do PM, e alerta para as consequências (não diz quais mas devia ter dito...afinal, isto é uma democracia ou não é?!);
- Lamenta que a União Europeia tenha condicionado a sua continuidade na reforma dos sectores da Defesa/Segurança com a libertação do Contra-Almirante Zamora Induta, e
- Diz que vai abandonar a Comissão de Reconciliação, criada a nível do Parlamento, por esta "não ter crédito nenhum".

Resumindo o comunicado (ao meu estilo, obviamente): Estão criadas todas as condições para isto não ter hora... AAS

Esclarecimento do Ditadura do Consenso para a UNIOGBIS

NOTA: Ditadura do Consenso fez o que lhe competia: ouviu a senhora envolvida na cena de pancadaria que envolveu uma catana, na zona dos coqueiros. Devo realçar igualmente que nessa manhã eu contactei alguém da UNIOGBIS e só não falamos porque se encontrava numa reunião. E enviei também uma sms. Quando finalmente me devolveram a chamada, eu já tinha escrito a versão que ouvira.

Segundo A., os problemas começaram muito antes, numa pastelaria. E terminaram de madrugada, com ela a ser agredida pelo ex-namorado. «Telefonou várias vezes. Uma das vezes não atendi», conta. A., estava na rua a falar com as amigas, quando o ex-namorado surgiu, parando o carro ao lado dela. «Começou por me bloquear a entrada, e depois forçou-me a entrar no seu carro, onde me espancou. Agarrou-me nos cabelos e empurrou a minha a cabeça contra a porta», conta, assustada.

Quando as coisas começaram a tomar outro rumo, chegou o namorado de A. «Quem lhe telefonou foi o meu ex-namorado, ele é que tinha o meu o telefone nessa altura. Tirou-mo à força.» Ainda de acordo com A., o argentino nunca agrediu ninguém (notícia igualmente confirmada pelo DC junto de outras testemunhas no local).
«Ele, quando chegou, queria apenas afastar o rapaz para longe dela. Até gritava para as minhas colgeas «levem-na daqui», «levem-na daqui».

Aliás, testemunhas garantiram que se o argentino nao tivesse chegado cedo podia ter acontecido uma tragédia, pois o rapaz estava bastante alterado e não ouvia ninguém. Tinha, ainda segundo algumas pessoas, uma arma de fogo. Houve ainda mensagens de sms enviadas a A., como por exemplo «vou cortar a cabeça do teu namorado e enviar-te como presente».

Quanto à camisola que o argentino trazia nas mãos, há uma explicação plausível: quando recebeu a chamada, ouviu gritos e, entre outras coisas, «vou matar-te, a ti e ao argentino». O telefone era da namorada mas a voz era masculina. Estranho. E decidiu pôr-se a caminho. Quando lá chegou e o outro o viu assim, pôs-se logo em fuga (não tinha a camisola vestida por causa da pressa, ou da pressão, ou, ainda, do pânico que o telefonema despertou nele).

António Aly Silva

Miss África Ocidental, no Reino Unido 2010 - Hoje é o último dia. VOTEM nas candidatas Guineenses

Amigo Aly,

Com os meus melhores cumprimentos.

Seria bom se pudesses lembrar os seus leitores sobre o seguinte: A votação termina hoje às 19 Horas de Londres. Entupam o servidor, sff.

Para votar para Ivelena Costa, visite este link:
http://www.misswestafricainternational.com/profile.php?id=47&deptid=6

E para votar para Astride Costa, visite este link:
http://www.misswestafricainternational.com/profile.php?id=49&deptid=6

Há um grupo no facebook a apoiar as duas candidaturas:
http://www.facebook.com/group.php?gid=154859681214772&v=wall

Página do evento:
http://www.misswestafrica.co.uk/

NOTICE:

If the Gambia do not pay the arrangement of my vehicle until 30 october, i will break the windows of all embassy cars, STARTING whit the embassador's.

António Aly Silva

Sr. Ministro dos Negócios Estrangeiros:

Escrevi uma carta aberta a V. Exa., da qual não obtive nenhuma resposta. Hoje, estive na Embaixada da Gâmbia e o resultado foi eu ter sido detido pela polícia.

Excelência,

No dia em V. Exa. regressar do estrangeiro, eu vou para a porta do Ministério para: gritar, buzinar e exigir os meus direitos junto do Ministério que dirige. Caberá a V. Exa., agir junto da Embaixada da gâmbia no sentido de o meu carro ser integralmente reparado. Para já, está parado junto à Embaixada da Gâmbia.

Atenciosamente,

António Aly Silva
Tel.: (+245) 668 31 13

P.S. - Já estou em liberdade, ainda que condicional... AAS

Informação de última hora: que se foda a Gâmbia e a sua Embaixada em Bissau

António Aly Silva informa que foi detido por três polícias do Ministério do Interior, esta manhã, na Embaixada da Gâmbia, em Bissau.
Motivo? Eu estava a proferir palavras de ordem sendo que os mais sonantes foram: "fuck the Gambia" e "a Gâmbia é um Estado bandido e aldrabão".
Assim que sair do MI, a luta continuará. Para já, o meu carro está - e vai ficar - à porta da Embaixada de aldrabões.
Ah, e fui detido com RESPEITO!... AAS

domingo, 17 de Outubro de 2010

Para memória... presente

Photobucket

"Cadeia!!!!! O senhor Primeiro-Ministro tinha jurado a pés juntos de que no dia em que o Bubo Na Tchuto abandonasse a sede das Nações Unidas, iria imediatamente para a CADEIA. Afinal, o povo é que não tinha percebido bem ou o primeiro ministro é que pensou uma coisa e falou outra coisa, porque afinal queria dizer que no dia em que o Bubo Na Tchuto abandonasse a sede das Nações Unidas ele iria ficar à frente da... CADEIA de comando da armada Guineense!

Coincidência ou destino: os dois foram hóspedes na sede das Nações Unidas em períodos e circunstâncias diferentes, mas ambos ainda não foram para a CADEIA???!!!
Filipa G.
"

M/N: Sabes, talvez tenhas mesmo razão. Referia-se à cadeia de comando, sim! AAS

Realmente somos tão ricos...

REALMENTE, OS QUARENTÕES E OS CINQUENTÕES SÃO TÃO RICOS...


Prata no cabelo;
Ouro nos dentes;
Pedras nos rins;
Açúcar no sangue;
Depósitos de Gordura nas ancas;
Chumbo nos pés;
Ferro nas articulações;
e uma fonte inesgotável de Gás Natural!

Nunca pensei que a partir dos 40 pudesse chegar a ter tanta riqueza!!!

Um abraço a todos os meus amigos ricos!!!

Dubai!, Dubai! (já não era sem tempo)

"Prezado Aly

Sou A. F. C. Jr., cidadão guineense residente nos Emirados Arabes Unidos - Dubai.
Escrevo para te felicitar pelo excelente trabalho que tens feito: "És um verdadeiro combatente".
Peço a Deus que ilumine o teu trabalho e que dê protecção ao povo da Guiné-Bissau.

Dubai, EAU, 16.10.2010
"

MN: Obrigado e um abraço. AAS

Estranho...

Photobucket

Obviamente, DC pede à Procuradoria-Geral da República para investigar...AAS

sexta-feira, 15 de Outubro de 2010

Um tiro no próprio pé (é de génio...)

O comício que hoje teve lugar na praça dos heróis nacionais, promovido pelo Governo do PAIGC e que arrastou apenas cadoguistas confessos e a populaça miserável do interior do País (um aproveitamento feio), teve tudo de mau. Não conseguiram reunir sequer 1000 pessoas (a famosa RTP falou em 'milhares de pessoas'), e tinham, para compor o ramalhete, uma coluna densa de fumo mesmo por trás do palco. Onde há fumo, há normalmente fogo...

Este comício foi mal pensado. E, sobretudo, foi um tiro no pé do Carlos Gomes Jr....desferido pelo próprio. Não se ouviu do 1º Ministro uma menção que fosse sobre a carta que o Procurador-Geral da República escreveu ao Presidente da República, e onde o Almirante Zamora Induta o acusa de cumplicidade no assassinato de 'Nino' Vieira; Não se ouviu do 1º Ministro uma palavra apenas sobre a defesa do senhor seu Pai, sobre essa mesma carta...

Pelo contrário, ouvimos do 1º Ministro o refrão de sempre: «conseguimos pagar o salário». Uma miséria de salário, diga-se. Para um País miserável, nada mau. E acho mesmo que Cadogo merece uma medalha dos objectivos do milénio... E eu? Eu vou mas é dormir, pá! AAS

Uau! Ditadura do Consenso põe o País em polvorosa

(...)"Desde a publicação no blog Ditadura do Consenso de uma carta alegadamente escrita pelo Procurador Geral da República e dirigida ao Presidente Malam Bacai Sanhá, na qual Carlos Gomes Júnior era apontado como o mandante dos assassinatos de 2009, que a tensão política em Bissau se tem vindo a agudizar. Roberto Cacheu e Daniel Gomes, que agora lideram a contestação no PAIGC, têm também conduzido o grupo de familiares das vítimas dos assassinatos de 2009, exigindo a publicação dos processos de investigação actualmente no Ministério Público. O Procurador Amine Saad, tem-se remetido ao silêncio sobre este caso, estando actualmente nas Canárias numa viagem particular."(...) Jornal de S. Tomé/PNN

Imagens desmentem a RTP-África

Photobucket

No seu Repórter África de hoje, a RTP disse (sem mostrar IMAGENS, mesmo tendo cá uma delegação...) que estavam na praça dos heróis nacionais MILHARES de pessoas a assistir ao comício-fantasma do presidente do partido e 1º ministro Carlos Gomes Jr.

É mentira o que disse a RTP - as imagens provam isso mesmo. Kafunbam!!! Mais: o PAIGC de Cadogo fretou mesmo autocarros e carrinhas de transportes (ver fotografias) para trazer gente do interior do País. Ainda assim não estiveram 1.000 pessoas na praça dos heróis e que já foi do Império.

Ou seja, em Bissau este Governo já não enganam ninguém. Resta o interior, onde há mais miseráveis... AAS

O povo mudou de freguesia

Comparando, medindo, ouvindo os uivos, cheguei à conclusão de que havia mais gente por metro quadrado na varanda do 1º andar do café Dias&Dias, do que na rotunda da praça dos Heróis Nacionais... AAS

Tapem os buracos nas estradas, porra pá!!! AAS

Carta aberta dirigida a Carlos Gomes Jr, Presidente do PAIGC e 1º Ministro

Camaradas Membros da Direcção Superior do Partido;
Camaradas Responsáveis, Militantes e Simpatizantes do nosso grande Partido
Povo da Guine Bissau,
Camaradas,

É TEMPO DE AGIR PARA SALVAR O PARTIDO E A DIGNIDADE DOS GUINEENSES

O PAIGC, enquanto Partido libertador do povo Guineense atravessa o período mais crítico da sua história com consequências nefastas para o povo e para o país. Uma sombra negra paira sobre o nosso Partido, Partido de Amílcar Cabral, dos Combatentes da Liberdade da Pátria e do povo guineense.

Chegou a hora de todos os Militantes do PAIGC acordarem para juntos erguerem as suas vozes, para que se oiçam os seus protestos, para que a história não os venha a julgar da mesma maneira, que aqueles que neste momento pelas suas más práticas políticas estão a ensombrar o Partido e a conduzi-lo para a desintegração e perdição, fenómeno jamais vivido ao longo da brilhante história do Glorioso PAIGC.

É manifesta a incapacidade da actual cúpula directiva do Partido em garantir a unidade e a coesão interna, em manter a tradicional autoridade no seio dos militantes, em conduzir as reformas estruturais inadiáveis, em evitar o fosso entre a cúpula e as bases do Partido, em instaurar um clima de segurança e confiança no seio dos seus quadros promovendo a efectiva estabilidade do partido através de uma gestão atenta e criteriosa dos conflitos sociais e políticos. Também é incapaz de criar as premissas susceptíveis de relançar e dinamizar o processo de competitividade no seio do próprio Partido.

Esta cúpula directiva do partido, não se orienta pelos princípios do PAIGC e do legado politico de Amílcar Cabral, dos Combatentes da Liberdade da Pátria, legado esse em que o nosso Líder imortal considerou o homem como valor supremo do universo, com o direito a vida, a liberdade, ao progresso e acima de tudo o Direito a uma Pátria.

Caros Camaradas, Dirigentes, Militantes e Simpatizantes,

O PAIGC sempre combateu o espírito divisionista assente na máxima colonialistas “Dividir para melhor reinar” e instaurou a divisa libertadora de “Unidade e Luta” que foi uma alavanca que impulsionou a nossa luta e conduziu a Independência Nacional.

Infelizmente, de forma escandalosa e triste, a prática de divisionismo está hoje a ser implementada no seio do PAIGC, pelo senhor Carlos Gomes Júnior, Presidente do Partido, com a clara cumplicidade da cúpula do Partido e de alguns círculos da sua “confiança”.

O PAIGC, ganhou as eleições legislativas de 2008 com a maioria 67 deputados dos 100 compõem a ANP, resultante de uma acção solidária de todos os seus Dirigentes, Militantes e Simpatizantes e em certos casos com recursos próprios, movidos sobretudo pelo bom senso e a primazia dos superiores interesses do Partido.

Entretanto hoje, assiste-se muito tristemente a uma liderança autocrática déspota e arrogante, impondo ao Partido uma realidade dramática, com reflexos deveras prejudiciais à governação e à própria imagem e bom nome do PAIGC. O presidente do Partido persiste em erigir o nepotismo e clientelismo como método de direcção e governação, fugindo a todo e qualquer diálogo interno como se de uma empresa sua se tratasse.

Assistimos neste momento ao bloqueio/boicote das instâncias dirigentes do partido, traduzido numa deliberada inexistência de reuniões dos órgãos (Secretariado Permanente, Bereau Politico, Comité Central) e, em seu lugar, o Presidente promove um estranho funcionamentos com base em “esquemas” e manobras maquiavélicas em flagrante e permanente violação dos estatutos.

A tudo isto, junta-se o encorajamento à intriga, a estratégia do dividir e agrupar em “grupos dos que apoiam a direcção ou o seu presidente mesmo que de forma anti-estatutárias, o abuso de poder, decisões singulares, “ só eu é que posso”, “só eu é que mando”, em suma “sou o Chefe”.

Como se não bastasse, todo este cortejo de desmandos enveredou-se pela via da violência, como ilustram os assassinatos de triste memoria, caso 1 e 2 de Março 2009,4 e 5 de Junho do mesmo ano, espancamentos de figuras publicas com o único intuito de silenciar vozes discordantes e assim sufocar a democracia, como são os casos do Dr. Francisco Fadul, Ex-Primeiro Ministro, do General José Loa, hoje falecido e quiçá causa próxima da morte, do Advogado, Dr. Pedro Infanda, Jornalista-Rogério Dias, Dr. Francisco Ndur Djata ”Dr. Chico” do Ministério do Interior, entre outros. As Prisões arbitrárias e ab aeternum no seio do sector castrense, General, José Loa “falecido” entre outros.

Os casos de prepotência e falta de sentido de Estado nos casos famosamente conhecidos do Contra Almirante, José Américo Bubo Na Tchuto, em que propalou a quatro ventos a eminente prisão, julgamento e exoneração do mesmo em claro desrespeito aos princípios do Estado de Direito Democrático que no fundo não se tratava mais do que uma encenação e bluff de quem e ávido de um poder de que não dispõe.

Senhor, Primeiro-ministro e Presidente do Partido, como explica, tanta fuga de cidadãos solicitando asílio nos países amigos?

Como explica, tanta saída de quadros do partido para irem integrar ou formar outros Movimentos políticos? Como são os casos do Dr. Aristides Gomes, do Partido PRID, Senhor, Braima Embalô, do PDS, Ibraima Sow, do Partido Popular, levando com eles um grande número de militantes.

Chegando ao cumulo de instituir a eliminação física dos adversários através de assassinatos como método de governação e perpetuação do poder, métodos estranhos aos princípios do PAIGC de CABRAL, Partido que notabilizou-se pelo respeito pela dignidade humana, diálogo interno permanente e solidariedade entre camaradas. De recordar que ao longo destes últimos anos os assassinatos só acontecem no consulado do senhor Carlos Gomes Júnior. Porque? E a mando de quem? Estará a fazer “frete” por conta de alguém?

Camaradas,

É triste mas é hoje frequente ouvir, “O Partido sou eu e ninguém mais. Enquanto eu for o Presidente do Partido não admitirei!

O Partido é hoje, um Partido em claro divorcio com os seus princípios, que foram sempre a sua alma, expressa na máxima “unidade e coesão interna,” resultando desta forma na fragilidade na Governação ferindo os valores cardinais que deveriam conduzir o seu grupo parlamentar no apoio institucional e político do PAIGC de forma a permitir a realização do seu projecto político largamente sufragado nas urnas, perigando desta maneira a credibilidade do partido com consequência de quebra da confiança dos eleitores com o partido.

O dramático de tudo isto, é que vinha sendo laboriosamente instaurado um clima de pluralismo no partido, com respeito dos princípios democráticos, respeito pelas diferenças de opiniões, tolerância; eis que subitamente instala-se pelo presidente um estado de terror interno. Sendo a consequência de tudo a exclusão imediata por simples divergências de opinião e preterimento a favor de um seu servidor zeloso, “Sim Senhor”.

O Partido conhece neste momento, uma notável diminuição da sua capacidade de mobilização, um acrescente e generalizado descontentamento dos seus militantes e quadros, a que a não ser atempadamente combatido esse estado de coisas acarretaria num futuro próximo, resultados de consequências imprevisíveis para o partido.

O método e a linguagem do nosso partido mudou, já não se fala das decisões do Partido e dos seus órgãos de direcção. Aliás neste momento, não existe o Secretariado do Partido, tão só fecho de informação com inexistência deliberada das reuniões ordinárias. As decisões são hoje tomadas apenas na base de interesses encomendados e imediatos do presidente e quando assim é reunindo o Bereau Politico de forma expedita e improvisada, lutando custe o que custar para tomar decisões que lhe convém mesmo que sem quórum e muitas vezes na ausência premeditada do próprio presidente.

Assim se tramaram mortes, perseguições, afastamento das suas funções de dirigentes e quadros do partido, deputados hostilizados até ao ponto da humilhação, outros forçados ao exílio, tudo na Guiné-Bissau, na governação do PAIGC de CADOGO.
É nesta mesma governação de Carlos Gomes Júnior, que se distribuem prébendas dos postos relevantes do Governo, fundamentalmente os da área económica e financeira que se presume com rendimentos chorudos, reservados aos genros, pais dos mesmos, primos, amigos pessoas de relações negociais e de outros interesses inconfessos.

A promiscuidade entre o cargo de Primeiro-ministro, Presidente do PAIGC e o instinto de cupidez do empresário Carlos Gomes Júnior. Enquanto Primeiro-ministro vende por tudo quanto é sítio “urbe et orbi” a instabilidade insanável do país e na pele de empresário pinta um oásis onde o capitão môr é o próprio. Os diferentes empresários estrangeiros que com ele privaram, que o digam.

Somos pela razão e, para a melhor compreensão dos camaradas enumeramos alguns factos mais marcantes da forma como a actual direcção de Carlos Gomes Júnior vem gerindo o partido ao sabor dos seus interesses e prazeres da clique.

O Estranho e Grande Silêncio.

Nos dias 1 e 2 de Março de 2009, foram assassinados respectivamente os Combatentes da Liberdade da Pátria e em funções, O Camarada Tagme Na Waie, então Chefe de Estado Maior General das Forças Armadas e o General, João Bernardo Vieira “Nino” então Presidente da Republica.

Aquando dos assassinatos o PAIGC não se pronunciou, remetendo-se ao silêncio macabro em como se nada tivesse acontecido. Alias, apressou-se com justificações sem fundamentos, com substituições e tomada de posse feitas de forma estranha e atabalhoada, contrária aos hábitos tradicionais, próprios de golpes de estados, sem honra nem gloria e desrespeito a memoria desses heróicos combatentes de Liberdade da Pátria. Isto tudo sob orientação de quem, senhor Presidente do PAIGC e Primeiro-ministro?

Foi um momento de horror, e de desonra na vida do PAIGC e do povo Guineense, não pronunciar nada, absolutamente nada, nem tão pouco condolências á família enlutada. Só veio a ser convocada uma primeira reunião do Bureau Politico no dia 19 de Março, isto dezassete dias depois, reunião essa, que tristemente terminou sem a tomada de qualquer posição.

O que terá acontecido Camaradas, nesses dias em que o PAIGC remeteu-se ao silencio?
A actual direcção do partido tem que esclarecer bem as razoes que impediram de prestar as merecidas homenagens e reconhecimento de estado a estes dois mártires e figuras marcantes da história do PAIGC e da Nação guineense.

2- Nos dias 4 e 5 de Junho de 2009 o País foi sacudido por um acontecimento ignóbil e criminoso, alegadamente de tentativa de golpe de estado, para matar Carlos Gomes júnior e Zamora Induta. Esquecendo-se até que o Carlos Gomes Júnior não se encontrava no País. Vergonhosa justificação de uma personalidade do Partido que se transformou em verdadeiro Fantoche de CADOGO. O que queriam? Decapitar e destruir a campanha eleitoral do Camarada Malam Bacai Sanha!

Toda a directoria de campanha do Camarada, Malam Bacai Sanha tornou-se um alvo a bater, a saber:

Roberto Ferreira Cacheu – Director Nacional
Marciano da Silva Barbeiro – Director Nacional Adjunto
Daniel Gomes – D Gab de Marketing e Porta voz
Conduto de Pina – Membro da Directoria Nacional

O camarada Hélder foi brutalmente espancado para seguidamente ser friamente abatido por mãos assassinas. Os outros Membros escaparam pela mão divina, o Camarada Roberto Ferreira Cacheu e Conduto de Pina no País e os Camaradas Marciano Silva Barbeiro e Daniel Gomes acidentalmente no estrangeiro.

Que grande Golpe de Estado? Quando nenhum dos titulares dos órgãos de soberania sequer estavam no País? Na verdade quem fez o golpe foi quem mandou matar.
O Camarada Baciro Dabo, deputado e candidato as Presidenciais fora torturado e friamente abatido em sua casa.

Importa sublinhar que todos esses Camaradas á data dos assassinatos eram membros do Bureau Politico do PAIGC e Deputados da Nação. A macabra tentativa de golpe de Estado foi orquestrado pelo próprio governo de Carlos Gomes Júnior, que confirma-se pelas declarações do Sr. Zamora Induta na altura chefe de estado-maior general das forças armadas, que disse citamos:

Cumprimos as ordens que nos foram dados pelo governo, agora cabe ao governo responder”, fim de citação.

A corroborar essas declarações o governo emitiu um comunicado a apoiar as alegações de tentativa de golpe de estado e num exercício inglório de pertenço esclarecimento áudio visual do dito acontecimento, emitido na nossa televisão e na RDP e RTP-Africa tendo como tristemente célebres protagonistas encenadores, os senhores António Óscar Barbosa (Kankan) então Ministro dos Recursos Naturais e Botche Cande Ministro do Comércio. Pensamos nos que esses senhores devem sentir ensombrados e com consciência pesada de remorsos pela mentira grosseira contra os seus camaradas do partido. Que vergonha?

O próprio substituto do Primeiro Ministro na altura, Camarada Manuel Saturnino Costa, então Ministro da Presidência do Conselho de Ministros foi a ANP na vã tentativa de justificar o acto criminoso, alias uma opinião expressa por um dos representantes diplomáticos acreditados no país. Até hoje não é capaz de exibir a menor prova que os deputados solicitaram. Como devem dormir os senhores Kankan, Botche e Manuel Saturnino?

Apesar da gravidade desta situação, a Direcção do PAIGC não se dignou a prestar qualquer esclarecimento aos militantes e á opinião pública nacional e internacional, chegando ao ridículo de impedir a divulgação da decisão judicial de arquivamento do processo por inexistência de indícios incriminatórios relativo aos Camaradas do Partido, uns assassinados outros caluniados na famigerada tentativa de golpe de estado. Censura por quem? Do Senhor Carlos Gomes Júnior, presidente do PAIGC.
Camaradas,

O PAIGC é o único partido capaz de garantir a estabilidade da governação, mas para isso terá que ser capaz de resolver ou ultrapassar os seus problemas internos e de liderança.

Entretanto, desde o Congresso de 2002, o PAIGC tem sido refém de personalidades que o dividiram em várias facções, cada uma delas em busca do poder, numa luta sem tréguas no interior do próprio partido.

A tarefa não é fácil mas tem que ser feita, em nome do país, em nome da história do PAIGC, em nome da sacrificada sociedade guineense e do nosso povo sofrido, que deu tantos dos seus filhos para que a Guiné-Bissau pudesse ser livre e próspera.
É necessário e urgente que no seio do partido emerja um grupo de militantes esclarecidos e disponíveis para constituírem um baluarte de regeneração do tecido político interno e de um novo rumo ao PAIGC, que seja capaz de fazer o partido voltar a ser uma força política federadora de diferentes vontades, coeso e solidário, forte e geradora de dinâmicas envolventes, moderna e depositário do legado sociopolítico e promotor da sociedade sonhada por Amílcar Cabral.

A urgência da redenção justifica-se igualmente porque a independência já tem trinta e sete anos e a epopeia libertadora dos seus protagonistas muito mais tempo. A sociedade guineense a quem o PAIGC propõe continuar a servir mudou profundamente e o nosso grandioso partido, o PAIGC, tem que estar a altura dos acontecimentos e dos desafios do tempo, sempre na qualidade de protagonista e componente estratégico.


Camaradas,

Não se trata de nenhum ajuste de contas dentro do partido, mas tão só um diagnostico das graves situações e atropelos cometidos pela actual direcção do senhor Carlos Gomes Júnior, sem citar outros desmandos e desgovernação, nomeadamente os casos da exoneração dos quadros do partido em benefício de amigos da clique, DGCI, EAGB, Previdência Social, etc., etc. A Petromar e o monopólio do sector dos combustíveis, monopólio do BAO na gerência dos fundos do Estado e os aferismos mal contados sobre o advento da confiscação do património do estado sob a capa da pseudo privatização.
Nesta perspectiva e porque aconteceram coisas horríveis e macabras no nosso seio; pelo estado letárgico, de intriga, persecutório e mercantil como esta direcção tem conduzido o partido, propomos com carácter de urgência, a realização de uma reunião extraordinária do Bereau Politico ao abrigo do n 1 do artigo 34 dos estatutos do PAIGC, propondo, entre outros, a inclusão do seguinte ponto central:
Situação Politica Actual do PAIGC
Explicações do Presidente do Partido sobre a Governação e os crimes não esclarecidos, cometidos durante o ano de2009.
Camaradas,

É preciso salvar o PAIGC e a dignidade da Guiné-Bissau. É tempo de agirmos em prol de um Partido do século XXI.

Bissau, 30 de Setembro de 2010

ASSINATURAS: Robert Cacheu, Coronel Manecas Santos, Daniel Gomes, Marciano Silva Barbeiro, Tumane Mané, Abel da Silva Gomes, Gustavao Na Onta, entre outros

Delírio (só pode)

Encosta-te a mim

"Encosta-te a mim, nós já vivemos cem mil anos
encosta-te a mim, talvez eu esteja a exagerar
encosta-te a mim, dá cabo dos teus desenganos
não queiras ver quem eu não sou, deixa-me chegar.

Chegado da guerra, fiz tudo p´ra sobreviver
em nome da terra, no fundo p´ra te merecer
recebe-me bem, não desencantes os meus passos
faz de mim o teu herói, não quero adormecer.

Tudo o que eu vi, estou a partilhar contigo
o que não vivi, hei-de inventar contigo
sei que não sei, às vezes entender o teu olhar
mas quero-te bem, encosta-te a mim.

Encosta-te a mim, desatinamos tantas vezes
vizinha de mim, deixa ser meu o teu quintal
recebe esta pomba que não está armadilhada
foi comprada, foi roubada, seja como for.

Eu venho do nada porque arrasei o que não quis
em nome da estrada onde só quero ser feliz
enrosca-te a mim, vai desarmar a flor queimada
vai beijar o homem-bomba, quero adormecer.

Tudo o que eu vi, estou a partilhar contigo
o que não vivi, um dia hei-de inventar contigo
sei que não sei, às vezes entender o teu olhar
mas quero-te bem, encosta-te a mim.
"

Jorge Palma

Previsão DC (Depois de Cadogo) para o comício de hoje do PAIGC...

Photobucket

quinta-feira, 14 de Outubro de 2010

Desorganização Nacional de Futebol

A selecção nacional de futebol perdeu por 1 a 0 frente a Angola, no seu segundo jogo tendo como objectivo o CAN 2012.

Mas, o que é a Guiné-Bissau mesmo sem a desorganização? Nada. Passaria a ser tudo, menos Guiné-Bissau. E perderia a piada.

Chegados a Angola, o seleccionado nacional ficou instalado no hotel Vila Alice. No dia do jogo, é que foram elas.

É ponto assente: uma selecção nacional, quando vai jogar além fronteiras, leva, no mínimo dois pares de camisolas. Ainda para mais em África onde as camisolas ou são verdes, ou amarelas ou ainda vermelhas.

Resultado: tiveram que ir a uma loja comprar camisolas de cor verde (Angola decidira jogar com camisola vermelha), com número mas...sem os nomes dos jogadores.

Mas há mais. Como gostamos de show-off, lá apareceu o ministro da área sem que estivesse no programa, o que obrigou a um significativo atraso, a que se somaram duas horas de viagem para o estádio.

Está-se mal. AAS

Barrar uma entrada é quando a UNIOGBIS quiser...

Photobucket

Esta cena passou-se no dia em que a Espanha comemorou o seu dia nacional. Havia festarola, tapas e jamón, mas a UNIOGBIS é que lançou os foguetes. À 'falta' de lugar para estacionar, porque não barrar a entrada de um café?

UNIOGBIS apresenta: Consolidação da Paz com Pancadaria

Esta madrugada, um funcionário da UNIOGBIS - Gabinete Integrado das Nações Unidas para a Consolidação da Paz na Guiné-Bissau (um argentino, dizem) foi o protagonista principal de uma cena de pugilato, que acabou por envolver uma catana. Tudo aconteceu na zona dos coqueiros, junto ao prédio ASDI.

Segundo testemunhas, o agredido estava no seu carro, a conversar calmamente com uma senhora que, dizem, namora com o gringo. De repente, ouviu-se o chiar dos pneus e viu-se uma nuvem de pó. Era el gringo. Sai do carro, envolvendo a mão com uma camisola, enraivecido e a espumar. E assim que o agredido o viu, assustou-se e fugiu. Mas haveria de voltar.

«Como tinha a camisola enrolada numa mão, este pensou que podia esconder uma arma», diz ao DC quem assistiu a tudo. O argentino continuou no seu encalce, às voltas, até que o rapaz conseguiu aproximar-se do seu carro, abrir a porta e sacar uma senhora catana. O argentino ainda conseguiu desarmá-lo, derrubando-o mesmo. Mas este conseguiu escapulir e desferiu vários golpes no homem das NU. Resultado: o argentino levou cerca de 9 pontos.

É assim que a UNIOGBIS, um gabinete de «consolidação da paz», se vem tornando numa anarquia. Espera-se obviamente por um esclarecimento da UNIOGBIS. Com consideração integrada, AAS

Passos perdidos

Na tomada de posse, o Presidente da República, Malam Bacai Sanhá, pediu ao novo chefe do Estado-Maior da Armada guineense, almirante Bubo Na Tchuto, para dar provas de que aquilo que dizem dele não é verdade.

M/N: Os Estados Unidos da América é que devem apresentar provas, pois foram eles que acusaram Bubo de ser «cabeça do narcotráfico». Passar bem. AAS

Ditadura do Consenso: o contador não engana

ESTATÍSTICAS:

Visualizações de páginas de hoje (até às 14hrs) - 1 293

Visualizações de página de ontem - 3 045

Visualizações de páginas corrente mês - 48 811

Histórico total de visualizações de páginas mês setembro - 156 157

P.S. - A Gâmbia...caiu em si, e na 2ª feira começam a vomitar peças...AAS. It's ok, it's ok

Carta aberta ao Ministro dos Negócios Estrangeiros

Photobucket


"Exmo. Sr.
ADELINO MANO QUETA

Ministro dos Negócios Estrangeiros da Guiné-Bissau


"Excelência,


Já lá vão 4 meses (11 julho) desde o acidente provocado por uma viatura do ESTADO da Gâmbia contra o meu carro, já dentro da jangada no Porto da Gâmbia.

Pedi que chamassem a polícia mas a resposta foi «ISTO É UM CARRO DO ESTADO». Um Estado BANDIDO e ALDRABÃO e ABUSADO, mas ainda assim um ESTADO

Já escrevi à embaixada gambiana, fui recebido pelo senhor ABDOU JARJOU, que me pediu desculpas pelo sucedido, oferecendo toda a ajuda. Contudo, parece que as autoridades começaram já com manobras evasivas, tentando fugir às suas responsabilidades enquanto Estado democrático.

Ontem, dia 13, fui convocado para uma reunião com o novo Embaixador, depois a mesma foi adiada e até hoje, nada. Voltei a contactar esta manhã o Sr. JARJOU...que me desligou o telefone na cara. Até agora não se dignou a atender e foi FAZER QUEIXA À NOSSA SEGURANÇA DO ESTADO.

Excelência,

O Sr Jarjou pode muito bem ligar para a CIA, o FBI, a INTERPOL. NÃO ESCAPARÁ!

Regressei à Embaixada pouco depois para entregar a factura proforma e... fui recebido à porta! Não hà entrada.

Excelência,

A partir de hoje, eu e a Embaixada da Gâmbia teremos PROBLEMAS todos os dias. Até que a Gâmbia assuma as suas responsabilidades enquanto Estado. Estou-me nas tintas para os conflitos diplomáticos que daí possam advir.

AGORA, FORAM FAZER QUEIXA À SEGURANÇA DO ESTADO DA GUINÉ-BISSAU E EU FUI CHAMADO AGORA. E VOU. MAS NADA LIVRARÁ A GÂMBIA DE PAGAR OS ESTRAGOS NO MEU CARRO! AFINAL, EU AGORA ESTOU NO MEU PAÍS!!!

Com consideração,

António Aly Silva
"

quarta-feira, 13 de Outubro de 2010

Orgulho + mudanças

Photobucket

O Dionísio (Nichi), jogador do Fátima, de Portugal, aquele que marcou o golaço frente ao Quénia e animou toda uma Nação surpreendeu-me: «Aly, passa cá no Aparthotel Lobato». E passei. Tinha uma camisola da selecção nacional autografada para mim. Bonito. Obrigado, amigo e boa sorte.

Mudei o cabeçalho do blog e fiz mais uma ou outra alteração. Para já está mais leve. AAS

Buracos Rodoviários: Quanto mais fundo, melhor

O Conselho de Ministros decidiu: todos (todos mesmo?!) os carros que circulam na Guiné-Bissau, vão passar a pagar o "Imposto" ou "Fundo Rodoviário", já nem sei.

Percebo. Só não entendo. O problema está no nome que escolheram para a coisa. Eu, por exemplo, não 'rodovio' em todas as estradas da Guiné-Bissau; e nas estradas em que circulo...

Posto isto, peço humildemente ao Conselho de Ministros que mude o nome para... Buracos Rodoviários. Para já, soa muito melhor. E o nome 'imposto' não soa bem para a populaça numa altura em que a crise espreita por tudo quanto é lado. Mais ainda quando há eleições à vista. AAS

Rainha de Inglaterra

Photobucket

«Se Bubo Na Tchutu abandonar as instalações das Nações Unidas será preso e será julgado». Foi um Primeiro-Ministro decidido, aquele que os guineenses e o mundo ouviram. Mas foi sobretudo um Primeiro-Ministro assustado - vocês é que não repararam.

Porém, antes mesmo de tudo isto, Bubo havia sido acusado – cozinhado pela sinistra DINFOSEMIL – de conspiração num hipotético golpe de Estado para derrubar ‘Nino’ Vieira.

FACTO: Bubo era o mais fiel aliado que o assassinado Presidente tinha no exército.

Preso na sua residência, nada mais restava ao Contra-Almirante. A fuga estava iminente. Bubo saiu de Bissau por terra, dormiu calmamente em Varela, num único quarto, atafulhado com meia dúzia de homens armados até aos dentes, e, manhã cedo, enfiou-se numa piroga que o conduziria à Gâmbia.

E por lá permaneceu, no seu exílio dourado, durante mais de um ano. Foi a Lisboa e Madrid. Participou numa conferência e tudo o mais. A primeira vez que Bubo falou à imprensa, ainda na Gâmbia, foi ao então repórter da Capa TV, Stéphane Bentura, para a reportagem «Africa Stups», em que orgulhosamente participei.

Começou por negar a acusação do Departamento do Tesouro norte-americano, que o classificou (sem no entanto apresentar nenhuma prova) de narcotraficante. Ou seja, seria como eu passar dos carretos e acusar Obama de ser...taliban. Ainda que sem provas.

Nessa entrevista, Bubo negou qualquer envolvimento no narcotráfico, e acusou o seu chefe directo, Tagmé Na Waié. «Perguntem-no, eu recebo ordens directamente dele. É ele o meu chefe». E ofereceu-se à Justiça: «Se me chamarem hoje, eu vou e respondo em tribunal». Ninguém o chamou. Nem a Justiça. Até que, um dia, o nome de Bubo veio novamente à baila.

De partida para a Gâmbia, com a intenção de enterrar ainda mais o Contra-Almirante, Zamora Induta, de peito feito, enfrentou os jornalistas. «Sr. Almirante, vai falar do Bubo Na Tchuto?», perguntaram. «Esse (Bubo) não é uma preocupação nossa» - foi a resposta de Zamora, em vez de... «Por causa dele, nem durmo à noite».

E uma bela manhã, com o sol nos píncaros, a notícia espalhou-se: Bubo está na sede das Nações Unidas, casa de ilustres hóspedes, uns com passagem breve, outros com longas estadias, com uma paisagem de cortar a respiração: o ilhéu do Rei, a ilha dos pássaros, uma estrada de merda na margem e, mesmo ao lado, coladinho, a Marinha de Guerra!

Pode parecer mentira mas chegou o 1 de abril (a tropa normalmente não escolhe datas por acaso) e, na rotunda do Império, a RDP-África, que comemorava mais um aniversário, estava entretida na montagem da tenda. A festa não podia esperar, o golpe em curso, sim! Haveriam de acordar com um post do Ditadura do Consenso e ficariam irremediavelmente para trás, metendo os pés pelas mãos. Comme d´habitude.

Resultado: Bubo saiu, comandou tudo, foi a tribunal, viu ser-lhe retirada a acusação e, depois, calmamente, reclamou o seu posto de volta. O que acabou por acontecer hoje, tomando posse daquilo que lhe competia.

Não precisamos de um Primeiro-Ministro com os poderes da Rainha de Inglaterra - que são... nenhuns! AAS

Águas agitadas: Posse! AAS

A semana tem 7 dias, o arco-íris 7 cores, e acabará tudo com 7 palmos de terra

Deixa-me sentir que tomas conta de mim e eu arranjo o resto de que preciso.

Philip Larkin escreveu que a coragem não isenta ninguém da sepultura: ou seja, que a morte não é diferente nem para os que a temem e menos ainda para os que a enfrentam. A vida, portanto, será mais vida para quem se ri da morte do que para quem a teme. Tem a sua graça...

Eu não tenho medo da morte. Percebo-a sem nunca ter falado com ela. Aliás, passei a vida a escarnecê-la.

É assim, um dia qualquer cansas-te. Dás por ti nas mãos de todos. E constatas que te meteste afinal numa vida degradante e sem futuro, que perdeste os amigos (os únicos são aqueles que continuas a enganar) e que tens de fazer mais coisas más. Que não querias. AAS

É ouro!, É ouro!

Photobucket

terça-feira, 12 de Outubro de 2010

"Graças a ti, muitos de nós vivemos melhor"

"Aly,
Não desperdices forças remando contra a maré. És estimado por muitos - incluindo para os que falam mal de ti. Eu oiço e outros ouvem por ti. Aceita o tal contrato e vai embora. A Guiné não merece muito daquilo que os seus melhores filhos têm para lhe dar.
O mundo é a melhor coisa que tens à tua frente. E graças a ti, muitos de nós vivemos melhor. És um homem inteligente, interessante e generoso.
Beijinhos, C.B.".

MN: Olá. Pois é, o que o mundo tem de melhor é que dá muitas voltas... Obrigado por existires. AAS