domingo, 29 de Agosto de 2010

Perigo de morte

Há uma semana, houve um violento acidente de viação na Av Domingos Ramos. Motivo? Meia dúzia de carros velhos, pertencentes ao empresário Carlos Domingos Gomes (Cadogo pai). Estão lá há vários anos(!) mas apenas o acidente em causa despertou os mais, digamos, distraídos.

Photobucket

FOTO:AAS

Mas não só os carros. O enorme edifício que se pendura para a avenida, igualmente de Cadogo pai, é outro perigo à espera de acontecer. Olhando para o telhado - ou para a falta dele - vemos que de cima espreita um perigo que pode até matar: uma fila considerável de telhas presas a...nada. No rés-do-chão, funciona uma casa de (bons) gelados. O problema pode começar quando essa gelataria põe mesas na esplanada (passeio), com um exército de telhas bem afiadas mesmo por cima das suas cabeças (dos que ali se sentam ou dos que por ali passam).

Fica o alerta para a Câmara Municipal de Bissau agir. AAS

sexta-feira, 27 de Agosto de 2010

Blindagem

Para além do Mercedes Benz, blindado, que a Presidência da República quer confiscar aos familiares de 'Nino' Vieira, há mais dignatários que decidiram pelo seguro (mas aqui, neste País, haverá mesmo alguém que esteja seguro?).

- Franco Nulli, Delegado da UE, desde que foi tomado de ponta preferiu a prudência: 4 agentes da empresa MaSa serão (bom, mas isso são os mal-intencionados a dizer) mais rápidos que a sua própria sombra - do Nulli !!!

- Joseph Mutaboba (ou muitaboba), o representante do Secretário Geral da ONU, preferiu expatriados e com larga experiência em premir o gatilho. Três ruandeses estão lá, sempre, para o que der e vier. Mas...estarão mesmo?!

- O nosso Primeiro também não deixou a coisa por menos. Aumentou o muro traseiro da sua residência, e tem andado com cerca de 10 seguranças. Ultimamente, Cadogo tem dado longas caminhadas pelas ruas de Bissau. Acompanham-no sempre 4 seguranças, cada um maior do que o outro.

- António Aly Silva, editor cá da coisa, anda armado em pessoa avisada. E viva a sexta-feira (com ou sem chuva). AAS

O Mercedes Benz blindado de 'Nino' Vieira

A Secretaria da Presidência da República cessante, fez uma lista de todos os bens do Estado que estavam na posse do assassinado Chefe de Estado 'Nino' Vieira. A seguir, foi feita uma entrega formal desses mesmos bens, numerados e etiquetados, aos novos inquilinos da Presidência da República.

Photobucket

Há uns anos, o Coronel Khadaffi, Chefe de Estado da Líbia, ofereceu a 'Nino' Vieira um Mercedes Benz de cor preta e à prova de balas. A viatura chegou na mesma altura em que chegaram os jeeps e automóveis sul-coreanos Hyundai, também oferta do cameleiro mais sortudo e mais generoso do planeta.

Contudo, agora, a Presidência quer, a todo o custo, ficar na posse da viatura. Ditadura do Consenso sabe que a viúva do Presidente 'Nino' falara pessoalmente com Malam Bacai Sanha, pondo-o a par da situação. O PR acalmou então Isabel Vieira. Estava tudo bem, portanto.

Mas não está, não. No dia 9 do corrente, a Presidência da República, através do Gabinete das Infra-estruturas e do Património, envia uma carta lacónica - não aos familiares, mas à oficina de mecânica que tem a viatura para revisão:

"Assunto: Devolução da viatura de marca Mercedez blindado

A Direcção das Infra-estruturas e do Património apresenta os seus melhores cumprimentos e vem atravês deste solicitar que seja devolvida a viatura acima citada, para o recinto da Presidência da República
"

Assina, também, o director dos Transportes e Comunicações.


AAS

A história sobre um pretendido Mercedes Benz...blindado? É já a seguir. Ditadura do Consenso: De Mal a Pior. AAS

quinta-feira, 26 de Agosto de 2010

A reunião que terminou antes mesmo de ter começado. Assim

Há vários meses que o Sindicato Nacional dos Professores (SINAPROF) tentava uma reunião com os ministros das Finanças e o da Educação. Nada.

Cansados de esperar, resolveram pedir uma audiência ao Primeiro-Ministro, Carlos Gomes Junior. Este acedeu, e o encontro estava marcado para hoje.

Porém, quando chegou à sala para a reunião Primatura...voilá! Para além do PM estavam lá também José Mário Vaz (Jomav para nós, os amigalhaços...) e o seu homólogo da Educação, Artur Silva.
A ironia do presidente do SINAPROF é que não foi a melhor: "Espero que esta reunião seja para sermos confrontados com os dois ministros"... O 1º Ministro tomou então a palavra e disse: "Se é assim que vamos reunir, está terminada a reunião".
A resposta dos professores, essa, não deve tardar... AAS

quarta-feira, 25 de Agosto de 2010

Procuradoria-Geral da República debaixo de fogo

Quando regressar a Bissau, o PGR Amine Saad deverá reservar pelo menos 48 horas para ler as várias cartas que ali tem sido depositadas.

11 anos depois, a família de Nicandro Pereira Barreto escreve ao PGR. "Continuamos a acreditar na Justiça" - uma boa tirada, sem dúvidas. Pois, o PGR da altura era...o Amine Saad. Consta que documentos desapareceram entre a PJ e o MP (ou vice-versa).
Nicandro Barreto, recorde-se, foi assassinado na sua residência. Foi PGR e ocupou vários cargos no Estado.

"Será Verissímo Seabra um indulgente?" - pergunta a família do assassinado CEMGFA e general de 4 estrelas. Estavámos em 2004. Henrique Rosa, Presidente de Transição, diz a família, "reagiu passivamente". De Kumba Yala, recordam uma passagem num seu discurso anterior aos acontecimentos: "Digam ao Verissímo que no dia em eu estiver a falar ele não estará presente". A rentrée promete. AAS

Comentários sobre assassinato de 'Nino' Vieira segue para tribunal

A reunião dos familiares dos políticos e militares assassinados no País nos últimos anos, que teve lugar na Presidência da República com mediação do Presidente Malam Bacai Sanha, deu agora azo a um processo crime movido pelos advogados do 1º Ministro Carlos Gomes Junior "por calúnia e difamação". Recorde-se que alguns comentários apontavam uma suposta ligação do PM no assassinato do Presidente 'Nino' Vieira.
Sentindo-se lesado, Cadogo avança para os tribunais por a sua "dignidade e honra" terem sido postas em causa.
O PM garantiu o total empenho do Governo que lidera na busca de toda a verdade sobre e este e outros assassinatos que o País conheceu de há uns anos a esta parte. AAS

terça-feira, 24 de Agosto de 2010

Desculpa esfarrapada

O comunicado do Governo sobre o adiamento (pela 2ª vez) da viagem do 1º Ministro à África do Sul, não passa de uma desculpa esfarrapada! E desavergonhada. A razão para o adiamento da viagem, segundo o comunicado, tem que ver 'com o vazio' no Estado - isto por causa das ausências do Presidente da República e do Presidente da Assembleia Nacional Popular. Ora, por várias vezes o País esteve sem os três, e ao mesmo tempo. Aliás, quando não estão nada de mau acontece no País - o que não deixa de ser bom para os que cá vivem.

Estranho, estranho é a viagem ter sido adiada um dias após Zamora Induta, ex-CEMGFA caído em desgraça...ter sido ouvido pelas autoridades.

Ou seja: o comunicado da Presidência do Conselho de Ministros não diz a verdadeira razão para a não viagem do chefe do Executivo à Africa do Sul. E assim vai o mundo!

- Miguel Girão de Sousa, que foi conselheiro da missão de reforma das forças de Defesa e Segurança - aquela missão, a tal que eu adivinhei que seria um flop, por se basear no divertimento, nos fins-de-semana apimentados e em atolanços, tugiu. Em entrevista ao semanário português "I", disse que a UE sabe 'quem prendou o 1º Ministro e ameaçou matar a população'.

A UE deve saber mais do que aquilo que diz. Eu, só esperava ler nessa entrevista "a UE sabe quem está por trás dos assassinatos de 2009"...

Numa das passagens, o ex-playboy de Bissau até ironiza com as declarações do Presidente da República e do Primeiro-Ministro - das suas opiniões, por exemplo. 'O que havemos de pensar?' - interrogou o menino-bonito-betinho da UE.

Eu, esperava ouvir da parte do conselheiro as desculpas pelo falhanço total da missão da UE-RSS, e a prestação total das contas. Quanto se obteve, quanto e como se gastaram milhões de euros pagos por contribuintes europeus.

O Governo liderado por Carlos Gomes Junior prepara mexida no Executivo. Fala-se do actual secretário de Estado (genro do PM e actual secretário de Estado dos Transportes) para ministro dos Recursos Naturais. Bom, mas é o que se diz por aí. Podemos é ter muitas surpresas pelo caminho...

O meu irmão mais novo, o Nilton, cumpre mais um aniversário. Parabéns, mano.

E é tudo. Por agora. AAS

segunda-feira, 23 de Agosto de 2010

Bonito

"Ontem, acabei por não enviar a última mensagem. Aproveitei para dar uma vista de olhos ao blog. Alegro-me por saber que chegou bem, e, e embora detestando o voo, o empenho e o amor pela escrita não foram afectados. Aly, tem uma boa semana junto dos que lhe são queridos.
S."

Obrigado. Muito obrigados. AAS

ÚLTIMA HORA: Zamora Induta está, neste momento, a ser ouvido. AAS

Novidades, novidades + a TAP é outra merda

António Aly Silva, informa os inimigos da República, os cúmplices e mandantes dos assassinatos brutais e cruéis que tiveram lugar na Guiné-Bissau...que CHEGOU esta madrugada a Bissau.

Ah, já me ia esquecendo...tenho de mandar a TAP à merda. Por se ter atrasado quase duas horas (bom, mas também desconheciam que este senhor era passageiro...). E o sãotomense-delegado, em Dakar, também não ajuda nada. RUA para a TAP! Sabem que mais? bardamerdas! Sugam-nos até ao tutano, e respeitinho que é bom, nem vê-lo! AAS

sábado, 21 de Agosto de 2010

Kim ki dê i ba rebenta: ditadura do consenso é o blog sobre a Guiné-Bissau MAIS VISITADO da internet. Para quem quiser, vindo de quem sabe!!!

AAS

Porra para esta força

O governo da Guiné-Bissau anunciou hoje, em comunicado de conselho de ministros, que só aceitará a vinda de uma força de estabilização ao país se o pedido for feito nos termos da Constituição da Republica e com um mandato das Nações Unidas.

Em reunião do conselho de ministros extraordinária dirigida pelo primeiro-ministro, Carlos Gomes Júnior, o governo guineense afirma aceitar o princípio da vinda de uma missão de estabilização, mas tudo terá que ser feita à luz da constituição do país e ter ainda a concordância de todos os órgãos da soberania.

Mas, para já, o governo decidiu incumbir o ministro da Defesa guineense, Aristides Ocante da Silva de preparar o dossiê sobre as posições de organizações internacionais, nomeadamente Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) e Comunidade Económica dos Estados da Africa Ocidental (CEDEAO) sobre a matéria. LUSA

De Bissau, nada de novo

O 1º Ministro da Guiné-Bissau, Carlos Gomes Júnior, mandou prender hoje o empresário Armando Correia Dias (N'dinho) por este o ter acusado de implicações no assassinato do Presidente 'Nino' Vieira.

Mas não teve sorte. Este, alertado por amigos, procurou protecção.

Carlos Gomes Júnior - quer se ache bem, quer não - é o primeiro responsável por todos os assassinatos que tiveram lugar na Guiné-Bissau - precisamente por ser ele o 1º Ministro - como ele costuma dizer, e bem, escolhido pelo povo. Porreiro, pá!

Mas antes mesmo dos assassinatos de 2009, há um de que todos se esqueceram, ou fingem esquecer: a do general Verissímo Seabra, à altura CEMGFA e assassindao a tiros dentro do seu gabinete de trabalho. A morte do general de 4 estrelas foi a porta que faltava abrir para a (re)entrada de 'Nino' Vieira em Bissau, enganado, entre outros pelo próprio 1º Ministro...

Como 1º Ministro, Carlos Gomes Júnior deve explicações aos guineenses e ao mundo sobre todos estes assassinatos. E não venham cá com teorias de merda (isto é para aqueles que comem às mãos do Cadogo, do Governo) que a mim não enfiam o barrete. Tenho dito. E bem dito! AAS

domingo, 15 de Agosto de 2010

Bubo + ONU + N'ka sibi quê

O Presidente da Guiné-Bissau, Malam Bacai Sanhá, é o único obstáculo à recondução do almirante José Américo Bubu Na Tchuto como chefe do Estado-Maior da Armada da Guiné-Bissau.

O Governo de Carlos Gomes Júnior e as chefias militares já estão disponíveis para reconduzir Bubu Na Tchuto nas funções que exercia antes do suposto golpe de Estado de Agosto de 2008. Mas a movimentação de homens de confiança do Presidente da República junto do chefe do Estado-Maior, major-general António Indjai, impediram o regresso de Na Tchuto. O que está a causar dores de cabeça às autoridades de Bissau.

Os analistas locais são unamines em afirmar que o almirante é agora uma pedra no sapato do Presidente da República e do primeiro-ministro: os dois estão em rota de colisão quanto à sua reintegração na chefia das Forças Armadas Revolucionárias do Povo (FARP).

Bubu Na Tchuto, que em Abril passado declarara que Malam Bacai Sanhá seria o melhor Presidente da República da Guiné-Bissau, agora não tem a mesma opinião em relação ao Chefe do Estado, com quem mantém um diferendo aberto.

Malam Bacai Sanhá não está disposto a reconduzir o almirante para não ter problemas com a comunidade internacional, que não vê com bons olhos o regresso de Na Tchuto à chefia da marinha de guerra da Guiné-Bissau.

Malam Bacai Sanhá preferia que Bubu Na Tchuto aceitasse o cargo de inspector-geral das Forças Armadas ou de chefe do Estado-Maior do Exército, passando o actual chefe do Estado-Maior do Exército, Mamadu N´Krumah, a vice-chefe do Estado-Maior das Forças Armadas.

O almirante não aceitou essas funções e entende que, sendo um homem com formação na área da marinha da guerra, só aí poderá ser útil para a Guiné-Bissau.

Perante este cenário, o Chefe do Estado convocou um encontro com o almirante, na presença da ministra da Presidência do Conselho de Ministros, Adiato Nadingna, para questionar os motivos de um anterior encontro entre Carlos Gomes Júnior e Bubu Na Tchuto. Malam Bacai Sanhá ficou a saber que os dois discutiram questões de pagamento da dívida do Governo para com o almirante. Dívida em relação à qual o primeiro-ministro terá já autorizado o pagamento de 50%. Todavia, desconhece-se ainda o valor total do montante que o Governo terá já pago.

ONU contra arbitrariedades

Em conferência de imprensa dada ontem à tarde, o representante especial do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou que não pretendia falar de nenhum detido em particular, mas de todos aqueles que há muito se encontram na cadeia sem culpa formada.

“Antes de se prender uma pessoa, ela deve ser informada da sua culpa, e em seguida é constituído um processo que vai para o tribunal, que por sua vez escolhe um magistrado que vai analisar o processo, para dizer se a pessoa deve ou não ficar na prisão”, lembrou Joseph Mutaboba.

O representante do secretário-geral das Nações Unidas respondia desta forma a uma pergunta sobre o que acha do facto de ainda não existir qualquer resposta à deliberação tomada pelo Conselho de Segurança, que exigiu a libertação imediata de todas as pessoas indevidamente detidas na Guiné-Bissau. Ou então que sejam levadas a tribunal.

Entre os detidos figura o ex-chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, vice-almirante Zamora Induta, preso no quartel de Mansoa, a 60 quilómetros de Bissau, desde o dia 1 de Abril passado, na sequência de uma sublevação militar dirigida pelo seu "número dois", o general António Indjai, posteriormente nomeado pelo Presidente Malam Bacai Sanhá para o cargo de que o afastara.

A Liga Guineense dos Direitos Humanos (LGDH) solicitou há dias a libertação imediata do brigadeiro Manuel Melcíades Gomes Fernandes (antigo chefe do Estado-Maior da Força Aérea), do vice-almirante José Zamora Induta, do coronel Samba Djaló (ex-chefe dos serviços secretos militares) e de mais quatro pessoas detidas “ilegalmente”.

Ao completar 19 anos, a Liga disse que isso seria uma forma de se contribuir para a resolução de alguns dos problemas do país, onde “as circunstâncias apontam tendencialmente para a intimidação, o medo e a perseguição”.

Ainda ninguém conseguiu explicar como é que o ano passado foram assassinados, entre outras personalidades, o Presidente João Bernardo Nino Vieira e o Chefe do Estado-Maior anterior a Induta, Tagme Na Waie.

A Guiné-Bissau tem vindo a ser considerada por instâncias internacionais um país de total impunidade, refém de redes de narcotraficantes e de movimentações militares, sem qualquer respeito pelas estruturas políticas constitucionais.

A ler e a rir-se dos disparates que lê...uai óhhh, bô dissan na n'bera

quarta-feira, 11 de Agosto de 2010

Os condenados da terra

"Influenciar uma pessoa é dar-lhe a nossa própria alma. O indivíduo deixa de pensar com os seus próprios pensamentos ou de arder com as suas próprias paixões. As suas virtudes não lhe são naturais. Os seus pecados, se é que existe tal coisa, são tomados de empréstimo. Torna-se o eco de uma música alheia, o actor de um papel que não foi escrito para ele. O objectivo da vida é o desenvolvimento próprio, a total percepção da própria natureza, é para isso que cada um de nós vem ao mundo. Hoje em dia as pessoas têm medo de si próprias. Esqueceram o maior de todos os deveres, o dever para consigo mesma. É verdade que são caridosas. Alimentam os esfomeados e vestem os pobres. Mas as suas próprias almas morrem de fome e estão nuas. A coragem desapareceu da nossa raça e se calhar nunca tivemos realmente.(...)"

Oscar Wilde em «The picture of Dorian Gray»

domingo, 8 de Agosto de 2010

Tropas (ou não)

"Ola Antonio,

Ha dias que li, que a Guine-Bissau pediu a presenca da forca de establizacao. Como guineense estou muito preocupado com esta atitude dos nossos politicos. Nao sei em que mundo estao. Com tantas experiencias do que passou com os paises onde estiveram forcas estrangeiras! Tudo correu mal para a populacao local, usurparam a riqueza local a fovor das grandes potencias e paises influentes. A Guine-Bissau nao esta em guerra, Angola e mesmo mais instavel que a Guine-Bissau, tem problemas na Provincia Cabinda e ainda nao pediu a presenca da forca de estabilzacao. Diz-se a forca de estabilzacao para acabar com o trafico de droga. Para isso a Guine-Bissau nao precisa da forca de estabilizacao, mas sim de ajuda com botes rapidos para controlar o nosso mar e as nossas ilhas. Portugal nao pediu a forca de estabilizacao e nem a organizacao CPLP propus o mando da forca de estabilizacao para esse pais, considerando que por Portugal passa 10 vezes ou mais droga que aquela que passa pela Guine-Bissau.

Os nossos politicos ainda nao entendem que para ocupar um pais e usurpar a riqueza do mesmo, existem estrategias semelhantes as que estao a acontecer a Guine-Bissau. Infiltram activdades ilegais no pais, criticam e exigem. Depois dizem que vao ajudar o pais a acabar com estes problemas, oferecendo dinheiro, que e depois considerado como divida. Quando estas na posicao imposivel de pagar as dividas, exigem consecoes para exploracao dos teus recursos naturais e tudo que tens como riqueza natural no pais. Se o pais nao esta na altura de executar o que eles exigem, fazem golpes de estado, guerra civil ou atacam o pais. Para a realizacao das estrategias do genero, existem empresas privadas, individuais com influencias e mesmo jornalistas. Guineenses, peco- vos um favor: abram os olhos!

Cumprimentos,
Inacio
"

Caro amigo, sempre atento... No dia em que os cidadãos guineenses QUE SABEM regressarem ao Pais, então sim, poderemos avançar. AAS

sábado, 7 de Agosto de 2010

Confundindo catana com caneta

Nos dias 12 e 13 de Outubro de 2009, o Consulado da Guiné-Bissau*, em Lisboa, assistiu a uma cena invulgar. A vítima foi o hoje Ministro-Conselheiro João Romano Ferreira (JRF).
Ditadura do Consenso investigou, e como aqui não se guarda nada na gaveta (nem nos bolsos...), decidi trazer o assunto a público.
No dia 12 de Outubro, enquanto se encontrava em despacho com o 1º secretário N’Bala Fernandes, surgiu do nada o 3º secretário da Embaixada, Bacar Sanha, e imediatamente começou a insultar o JRF e a proferir injúrias. Os insultos - «você e a sua família mataram o Presidente ‘Nino’ Vieira» (JRF é irmão da mulher do Presidente assassinado) - deram lugar a ameaças de morte. Bacar Sanha acusou ainda JRF de «andar a roubar o dinheiro do povo». Mas havia mais. Não contente, Bacar continuou: «O consulado não é propriedade do Teodoro Romano» (Pai de JRF, entretanto falecido).
Nesse mesmo dia, por volta das 16 horas, Bacar Sanha decide passar à tecnologia para aterrorizar ainda mais a sua vítima, de resto escolhida a dedo. E enviou mensagens de voz para o telefone de JRV: «Amanhã vou buscar o dinheiro»; «O dinheiro não é seu e nem é de nenhum familiar seu»; «Não tenho medo de nada e de ninguém e vou levar esta ameaça até às últimas consequências» ou ainda «Você é francês e não pode ser cônsul da Guiné-Bissau».
Bacar Sanha acusou ainda JRF de ter comprado um «carro novo com o dinheiro do povo». Investigações, em Lisboa, efectuadas pelo Ditadura do Consenso provam que esta acusação é falsa: João Romano Vieira comprou o Citroen C5 – em 2001, e por 3.000 euros! – ao Embaixador do Irão em Portugal. As testemunhas da compra foram N’Bala Fernandes e Ana Casimiro, secretária do Embaixador da Guiné-Bissau em Portugal

Xutos e Pontapés

Como se toda a injúria, calúnia e ameaça não bastassem, Bacar Sanha decidiu, um dia depois, portanto a 13, regressar ao consulado. E fê-lo com estilo. Munido de dois facalhões, entrou de rompante ameaçando de morte João Romano Ferreira.
Tentou mesmo forçar a entrada no gabinete do cônsul, ao murro e ao pontapé. Quem o demoveu deste tresloucado acto foi um colaborador do consulado junto dos cidadãos guineenses detidos em Portugal – Bacar Pitche, que lhe confiscou as facas.
Ainda desnorteado, Bacar Sanha dirigiu-se a Nagete, funcionária do consulado, exigindo que esta passasse a entregar-lhe todo o dinheiro visto que, nas suas palavras, «o consulado não é do João Romano nem da sua família». Exigiu ainda – com o vocabulário que se pode adivinhar – que JRF lhe desse 800 euros com vista à reparação de uma viatura (o mecânico já havia dado o carro como sucata). Mês e meio antes, foram desembolsados 500 euros numa reparação. Depois, gripou o motor.
As testemunhas deste acto irreflectido são muitas. E o Ministro dos Negócios Estrangeiros, Adelino Mano Queta, recebeu mesmo uma carta enviada a 16 de Outubro denunciando a situação e apontando testemunhas. Até hoje... AAS

* O referido consulado não existe hoje em dia. Criado por Decreto Presidencial, foi encerrado...numa manhã. Ordens do Minstro dos Negócios Estrangeiros, Adelino Mano Queta que, assim, violou todas as regras diplomáticas e éticas, deixando a diplomacia portuguesa estupefacta. AAS

Quem dá mais, ou um governo sem credibilidade e à imagem do seu Primeiro-Ministro?

A Embaixada da Guine-Bissau em Lisboa despediu o seu antigo Advogado – Carlos A. B. V., com alegação de «falta de verbas» (este ganhava 350 euros)...mas o actual Ministro dos Negócios Estrangeiros, Adelino Mano Queta, ordenou a admissão de uma Advogada, que é, nem mais nem menos do que...a sua própria filha. E a ganhar o dobro!.

O embaixador nomeado para Lisboa, ainda não apresentou as credenciais... "por estar tudo em férias". Bom, mas eu mesmo já tratei de muita documentação por cá...e uma até foi no MNE português, onde a diplomacia não pára...em que ficamos? Será pelas férias ou não haverá dinheiro para o embaixador assumir as suas funções?

A residência oficial não tem electricidade e só agora as torneiras viram água a correr. E lá vivem...os doentes que chegam de Bissau - como em Bissau não têm água...vai dar ao mesmo!

O próprio Ministro contara a história ao editor do Ditadura do Consenso na presença de um deputado, ainda em Bissau, e contou-a tambem no parlamento. Mas não a contou como deveria ser... AAS

quinta-feira, 5 de Agosto de 2010

Hoje, marcha-se pela verdade

Milhares de guineenses marcham, hoje, nas principais ruas da capital, Bissau, para pedirem isto: a publicação dos relatórios aos vários assassinatos ocorridos em 2009.
Ditadura do Consenso junta-se a eles em pensamento. E exige que sejam publicados. Caso contrário...eu mesmo publicarei o relatório sobre os assassinatos do Hélder Proença e do Baciro Dabó. E fá-lo-ei em Bissau, e não desde Lisboa, onde ainda se enchem chouriços e alheiras! AAS

terça-feira, 3 de Agosto de 2010

Mandem os submarinos novos para os afundarmos, pa!!!

Apesar do agrado com que recebeu a notícia de que as autoridades guineenses concordaram com a presença no país de uma força de estabilização internacional, o Governo português não tenciona enviar militares para a Guiné-Bissau.

«Não vejo necessidade de termos tropas portuguesas nessa missão», disse Luís Amado à TSF, a partir de Jacarta, onde se encontra. O ministro dos Negócios Estrangeiros não excluiu, no entanto, a possibilidade de Portugal vir a fornecer outro tipo de ajuda à Guiné-Bissau... Ehehehe

JA O BRASIL...

O Brasil, esse, apoiará uma eventual força de estabilização na Guiné-Bissau, desde que haja a chancela da União Africana e da Organização das Nações Unidas, informou hoje à Lusa o Itamaraty.

De acordo com a diplomacia brasileira, esse apoio poderá consistir, até mesmo, no envio de tropas, mas a Guiné-Bissau deve solicitar o envio da força de paz junto da ONU.... Ohohoh

segunda-feira, 2 de Agosto de 2010

M.B.: Eu disse "alguma diáspora". Eu estudei português, não pretoguês - ainda por cima bruto. Mas, enfim... AAS

Embaixada & Companhia... Os escândalos e vícios da nossa embaixada em Lisboa? Já estamos a trabalhar... AAS

Meia bola e...força!

A tão propalada força de estabilização para a Guiné-Bissau não é necessária e será despropositada. Mandem-na antes para Portugal, para calar os verdadeiros inimigos da Guiné-Bissau!!! - alguma diáspora precisará mais dela do que o povo guineense, que sofre calado, e humilhado e espezinhado por um Governo incapaz de conter a tropa, que está aliado com alguma tropa.

Essa diáspora, alguém apelidou-a um dia, e bem, como sendo «a pior inimiga da Guine-Bissau»; essa diáspora venenosa, desdentada e incompetente e que nem sabe o que vai no País - pois não metem lá os pés vai para décadas, preferem o bacalhau e a sardinha assada e o tintol barato e o boato; essa alguma diáspora que engorda a olhos vistos, prefere a humilhação e as postas de pescada a ter que regressar e dar a sua contribuição. Essa é que é a verdade!

Mas quem pensa essa diáspora que é mesmo? Uma diáspora fantoche e sanguessuga - morde aqui, sopra acolá - inimiga do Povo sofredor da Guiné-Bissau, aliada de algum tuga saudosista e neocolonialista!

Portugal continua a albergar - sabe-se lá por que razão - uma fabrica de mentiras como nunca se viu (chouriços e outros enchidos), de calúnias e de desinformação. Nós, que vivemos e pelamos na Guine-Bissau, nós é que sabemos por que passa o nosso povo, e sabemo-lo porque vivemos lá, com eles, não sabendo nunca se acordaremos juntos para mais um dia de terror!

Em vez de uma força de estabilização, porque não uma força para desmacarar certa diaspora venenosa e desacreditada? E ja agora, frustrada? Força de estabilização, sim! Mas para Portugal!!! AAS

domingo, 1 de Agosto de 2010

Eu acredito é nisto:

- Antes mesmo de se começar a negociar 'a coisa', o Governo vai cair. Depois, bom, depois como nada mais haverá para estabilizar, então não haverá necessidade de força nenhuma! Ora toma. Vou mas é beber umas caipirinhas. E aconselho-vos a fazer o mesmo.. AAS

E você, acredita??!: Guiné-Bissau aceita presença de força internacional de estabilização

As autoridades políticas e militares da Guiné-Bissau concordaram, hoje, com o princípio da vinda de uma força de estabilização, disse à imprensa um porta-voz da presidência guineense. Em declaracões à imprensa, à saída de uma reunião do Conselho de Defesa Nacional guineense, presidida pelo Presidente Malam Bacai Sanhá, o porta-voz Soares Sambu afirmou que essa decisão havia sido tomada e que seriam agora iniciadas as formalidades necessárias.

Segundo Soares Sambu, a aceitação da futura força vem na sequência dos apelos nesse sentido feitos à Guiné-Bissau nas recentes cimeiras de chefes de Estado e governo realizadas na cidade de Sal, Cabo Verde, na cimeira da CPLP que se realizou em Luanda, Angola e as decisões da cimeira da União Africana, que se realizou em Kampala, Uganda.

"O Presidente está tratando de criar consenso e tentar difundir toda a informação relativamente às principais decisões em relação à Guiné-Bissau, particularmente em relação aos esforços que estão sendo desenvolvidos junto à comunidade internacional na mobilização de apoios para o processo da reforma do setor de Defesa e Segurança", indicou o porta-voz da presidência guineense.

Questionado pela agência Lusa sobre o mandato e a composição da futura forca de estabilização da Guiné-Bissau, Soares Sambu afirmou que, por enquanto, essas questões ainda não foram definidas.

"Ainda há algumas etapas a serem percorridas, isso requererá um processo interno que vai ter que ser realizado. O Estado-Maior General das Forcas Armadas vai ter que reunir, os resultados dessa reunião vão ser transmitidos ao Executivo que, naturalmente, vai deliberar e, por fim, submeter a sua deliberação ao Parlamento e depois o Presidente promulgará a decisão que sair dessa instancia", disse Soares Sambu, conselheiro político e diplomático do Presidente guineense.

O porta-voz da presidência não soube dizer se a força estará na Guiné-Bissau antes do final deste ano, no entanto, Soares Sambu notou que o trabalho para a sua vinda vai ser iniciado brevemente.

"O formato nem está ainda definido (...). Diferentes missões, quer da União Africana, CEDEAO e CPLP virão ao país e com as nossas autoridades políticas e militares vai ser definido um conjunto de questões em relação ao mandato, ao formato, quero dizer, um conjunto de questões militares, que eu desconheço neste momento", sublinhou Soares Sambu.

Abordado pela Lusa e RTP-África, à saída da reunião, o primeiro ministro, Carlos Gomes Júnior, escusou-se a fazer declarações, afirmando que não queria dizer nada para além do que dito pelo porta-voz da Presidência.

As chefias militares que assistiram à reunião não prestaram declarações aos jornalistas.

Lusa