quarta-feira, 16 de Abril de 2014

PAIGC: A maioiria absoluta conseguida tem sabor a fel! Sair de 67 deputados para 55, dá que pensar. Um case study mesmo. AAS

PERGUNTAR NÃO OFENDE: Alguém me explique, como se eu fosse um analfabruto, como podem ser mais de 100 mil votos «nulos»?

2ª volta: dia 18 de maio. AAS

PAIGC: A falta que Cadogo lhes faz...AAS

ABISMO: PAIGC perdeu 12 deputados!!! Um descalabro, pelo que é necessário apurar responsabilidades! AAS

RESULTADOS PROVISÓRIOS/LEGISLATIVAS: Cá está, em 1ª mão


PAIGC 55 MANDATOS

PRS 41

PSD 2

PRD 1

UM 1

RESULTADOS PROVISÓRIOS/PRESIDENCIAIS: Cá está, em 1ª mão


Jomav 252 mil 269 votos - 40, 98%

Nuno 154 mil 784 votos - 25, 14%

Paulo Gomes 600 mil 789 votos - 9;87%

ELEIÇÕES(?)2014/HORA DA VERDADE/RESULTADOS PROVISÓRIOS: CNE «não está em condições» de divulgar os resultados das votações na diáspora. Talvez dentro de 48 horas...AAS

ELEIÇÕES(?)2014/HORA DA VERDADE: Começou a cerimónia de divulgação dos resultados eleitorais. AAS

ÚLTIMA HORA: Consta que os dirigentes do PAIGC foram levados para a sede da ONU, em Bissau. AAS

ELEIÇÕES(?)2014/HORA DA VERDADE: CNE diz que está «atrasada» (mas isso já nós sabemos...). AAS

ELEIÇÕES(?)2014 - EXCLUSIVO - RESULTADOS PROVISÓRIOS ELEIÇÕES GERAIS 2014: JOMAV e Nuno Gomes Nabiam vão à 2ª volta das eleições presidenciais. AAS


ELEIÇÕES(?)2014/HORA DA VERDADE: Todas as estradas que dão acesso ao Hotel azalai estão cortadas. Polícias, de Intervenção e da Ordem Pública, e ainda militares da ECOMIB fazem a segurança. AAS

ELEIÇÕES(?)2014/HORA DA VERDADE: No hotel Azalai, a CNE está a postos para anunciar os resultados provisórios das eleições gerais. O hotel está cheio e cercado por militares da ECOMIB. Todos os membros da CNE têm escolta militar. AAS

ÚLTIMA HORA: Candidato Nuno Nabiam também está protegido por tropas da ECOMIB, o que indica que uma segunda volta será provavelmente entre este independente, e o candidato do PAIGC, JOMAV. AAS

AOS TRAIDORES DA GUINÉ-BISSAU: Se a 'transição' era para continuar, por que carga de água nos meteram em eleições, vestidos com roupas Gucci??? Ah, não!, foda-se para os transitórios - o Povo está cansado. Não ha ninguém com eles no sítio para dar um par de estalos nesse parvalhão do Fernando Vaz? Já não chega a penúria em que meteram o Povo da Guiné-Bissau nestes últimos dois anos?! Ponham os políticos e a tropa guineense na ordem de uma vez por todas!!! AAS

ÚLTIMA HORA: Seis homens armados guardam a residência privada de JOMAV. Outros tantos estão a fazer escolta à sua caravana de automóveis. AAS


Lembram-se disto?: «ELEIÇÕES(?)2014: CEDEAO teme problemas com a aceitação dos resultados (A MESMA CEDEAO QUE NOS METEU NESTA ENCRENCA...). A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) teme problemas com a aceitação dos resultados das eleições gerais na Guiné-Bissau, referiu hoje Kabiné Komara, dirigente da missão de observação eleitoral. A CEDEAO NÃO TEM VERGONHA NA CARA! AAS

ÚLTIMA HORA: Residência do candidato presidencial pelo PAIGC, José Mário Vaz, já está ocupada e sob guarda de militares («completamente ineficazes» - a frase é dos EUA) da ECOMIB... AAS

ÚLTIMA HORA: Há movimentãções estranhas em Bissau. A ECOMIB já guarda casas de dirigentes... Mais: as declarações, hoje, do Fernando Vaz onde acusa Ramos Horta e Ana Gomes, não foram obra do acaso mas sim um sinal...estou a avisar!!! AAS

Festival de Bubaque


ELEIÇÕES(?)2014/RECTA FINAL: CNE apresenta hoje, às 19h, os resultados provisórios das eleições gerais de 2014. Para que a porca não tussa, a ECOMIB (segundo os EUA "uma tropa completamente ineficaz") dará 'protecção'...just in case. AAS

terça-feira, 15 de Abril de 2014

ÚLTIMA HORA: Morreu há pouco, em Bissau, o advogado Floriberto Carvalho. O malogrado foi director dos serviços Jurídicos do ex-Banco Central da Guiné-Bissau, director nacional adjunto da direcção nacional do BCEAO para a Guiné-Bissau. Era também advogado de Carlos Gomes Jr. À família enlutada, o editor do DC envia as mais sentidas condolências. AAS

De profundis


Ditadura do Consenso - o blogue, sempre foi a cara do António Aly Silva, independentemente dos sentimentos, que assumiram várias formas. A meu ver, foram argumentos mais fortes do que o argumento, sempre discutível, de ter ou não ter um efeito que nortearam a criação deste blogue. Porém, estava longe de imaginar as proporções que iria ter. Às vezes até pareço uma estrela de rock - logo eu!

Lamento algumas coisas. Sei que feri susceptibilidades, e que em alguns posts - poucos - causei dor e sofrimento em algumas pessoas e nas suas famílias. Mas também já passei por momentos muito difíceis e fui conseguindo superá-los. De resto, tenho subido um escalão aly e descido outro acolá, mas, pasmem-se, tenho subido quase o triplo no respeito e na consideração de muito boa gente.

Mas de que serve, hoje, o lamento? De que me posso lamentar, alguma coisa de que me arrependa? Não, nada. Cometi erros, mas nenhum estratégico, simplesmente tácticos. As pessoas lamentam-se de muitas coisas... Como pessoa, no pouco que de mim conheço, nos meus simples costumes, nas minhas práticas diárias, nas minhas poucas coisas, até sou uma pessoa bastante humana.

De algumas coisas que escrevi, sim - e lamentá-las-ei até à efectiva consumação dos séculos. Bastante mesmo. Como lamento não ter podido descobrir antes todas as coisas que agora conheço, com as quais, com metade do tempo, teria podido fazer mais, muito mais do que o que fiz em apenas 47 anos de vida.

Durante séculos os homens cometeram erros e, tristemente, continuam a incorrer nos mesmos erros. Acredito ainda assim, que o Homem é também capaz de conceber e criar coisas belas, de ter os mais nobres ideais, de albergar os mais generosos sentimentos e remorsos e, superando até mesmo os instintos que a natureza lhe impôs; de dar a vida pelo que sente e, sobretudo, pelo que pensa.

Escrevi já muito no blog. Estou quase a chegar ao número mágico de doze (12!) milhões de visitas ao blog - quase dez vezes mais do que a população da Guiné-Bissau. Sempre soube que havia inconvenientes naquilo que divulgo, mas que fique claro: quando critico os poderes faço-o de forma responsável - apesar das possíveis e, inadiáveis consequências, tudo é melhor do que a ausência de críticas. E não critico a pessoa, critico a autoridade.

Nos 47 anos que já levo por cá, tive o privilégio de ver realidades com as quais nem supunha quanto mais atrever a sonhá-los. Hoje, não penso em mais nada a não ser que tenho mais vida para além de mim, dois filhos maravilhosos, oportunidades que convém agarrar; para mim, o essencial, o principal, o fundamental, o vital, a questão de vida ou morte era de facto a luta comigo mesmo. E pela Guiné-Bissau e o seu maravilhoso Povo.

António Aly Silva

ELEIÇÕES(?)2014//RECTA FINAL: Uma fonte contactada pelo DC afirma que «apesar da euforia, o PAIGC pode ficar com 55 deputados, ou pouco mais (na anterior legislatura tinha 67)». Quanto às Presidenciais, parece cada vez mais clara uma 2ª volta entre o candidato do PAIGC, José Mário Vaz e o independente Nuno Gomes Nabiam. AAS


ELEIÇÕES(?)2014//RECTA FINAL: Existe um empate técnico entre Nuno Nabiam e Paulo Gomes. Mas como se trata de cada homem um voto, as dúvidas dissipar-se-ão não tarda. AAS

GUINÉ-BISSAU vs KARIM WADE: Uma descoberta surpreendente


Decorrente das últimas investigações levadas a cabo pelo Tribunal de Repressão do Enriquecimento Ilícito, sigla em francês, CREI, do Senegal, foi detectada uma conta bancária em nome de Karim Wade, filho do ex-presidente senegalês, Abdoulaye Wade, cujo saldo à data de 26 de abril de 2013 se cifrava em noventa e três milhões, setecentos e vinte e seis mil e duzentos e quatro dólares americanos (93.726.204$USD), ou seja um mana financeiro de cerca de 47 bilhões do nosso rico-pobre franco cfa.

Esse tesouro estava escondido numa nebulosa sociedade no domínio de assistência aeroportuária em terra. Na realidade, Karim Wade criou essa sociedade denominada African Handling Services, legal e regularmente instalada na Guiné-Bissau. A sociedade foi aberta nas Ilhas Virgens Britânicas. Simplesmente, uma conta foi aberta em nome da mesma sociedade, a 7 de dezembro de 2011, no Banco Industrial and Commecial Bank of China Limited (ICBC), estabelecimento bancário cuja sede se encontra na John Hancock Tower 10-01, 6 Raffes Quay, em Singapura.

Minuciosas investigações, indicações precisas de terceiros e a colaboração de pessoas estritamente ligadas ao antigo regime permitiram à CREI descobrir essa conta cujo numero é "Thunder2011" e o código "i.c.b.k.s.g.s.g", tudo directamente ligado ao antigo super-ministro do governo da era Wade pai.

Uma colaboração franca dos serviços bancários proporcionaram o estabelecimento de uma ligação directa entre a pessoa de Karim Wade e a respectiva conta. Destaca-se ainda, dessas informações, que Karim Wade é o proprietario a 100% da sociedade handling, AHSGB sedeada nas Ilhas Virgens Britânicas. As mesmas investigações permitiram constatar que o filho do antigo chefe de Estado senegalês é proprietário igualmente a 100% da conta da sociedade African Handling Service Guiné-Bissau, aberta na ICBC em Singapura. Fonte: L'Observateur n° 3170, 15 de abril 2014.

ELEIÇÕES(?)2014//RECTA FINAL: Votos da diáspora repartiram-se entre o candidato do PAIGC, José Mário Vaz, e Paulo Gomes. Ainda assim, o independente - e a maior surpresa nestas eleições, Nuno Gomes Nabiam - continua em 2º lugar na contagem geral. É cada vez mais provável uma 2ª volta nas Presidenciais. AAS


ELEIÇÕES(?)2014//RECTA FINAL: Cabo Verde congratula-se com acto eleitoral na Guiné-Bissau


O Governo de Cabo Verde congratulou-se com a forma ordeira e pacífica como decorreram as eleições legislativas e presidenciais no domingo na Guiné-Bissau. Num comunicado, o Ministério das Relações Exteriores cabo-verdiano realça que as eleições gerais guineenses registaram uma "participação massiva" do eleitorado, demonstrando um "claro comprometimento" com o processo democrático em curso no país.

"O Governo de Cabo Verde formula votos de que essas eleições venham a constituir um importante passo para o retorno à ordem constitucional e do relançamento do desenvolvimento económico e social", lê-se no documento. O executivo de José Maria Neves reafirmou o compromisso de reforçar as relações históricas entre os dois países e de colaborar com o Governo que sair das eleições na reconstrução nacional, através de uma cooperação "mutuamente benéfica".

As eleições legislativas e presidenciais foram as primeiras após o golpe de estado de 12 de abril de 2012 e decorreram de forma ordeira e normal, de acordo com as avaliações das missões de observadores em território guineense. Para a votação estavam inscritos 775.508 eleitores que escolheram entre 13 candidatos presidenciais e 15 partidos à Assembleia Nacional Popular.

LIVRO: Roteiro das coisas da Guiné-Bissau


«O facto de em 14 de Novembro de 1980 o primeiro-ministro guineense João Bernardo Vieira, "Nino", ter dado um golpe contra o Presidente Luís Cabral surgiu na sequência do grande ressentimento que muita gente da Guiné-Bissau tinha contra os cidadãos mestiços, nomeadamente com sangue de Cabo Verde.

De há muito que os europeus se serviam das gentes de Cabo Verde para procurar governar as problemáticas terras da Guiné; e os guineenses, de há 50 ou 70 anos, não viam isso com bons olhos, pois não queriam de forma alguma estar subordinados aos cabo-verdianos. Em 1879 a Guiné foi separada administrativamente de Cabo Verde, como se lê no roteiro "Da Guiné Portuguesa à Guiné-Bissau", há pouco publicado por Francisco Henriques da Silva e Mário Beja Santos, na editora Fronteira do Caos.

Até à segunda metade do século XIX, "a Guiné não era mais do que um grande mercado abastecedor de escravos"; e isso ainda se reflectia em 1973 e em 1980, por mais que Amílcar Cabral tivesse querido colocar em pé de igualdade os povos da Guiné e de Cabo Verde, para que caminhassem juntos para a independência. Cerca de 75 por cento dos funcionários coloniais da Guiné eram cabo-verdianos, como muito bem se recorda no importante roteiro agora publicado. E havia um grande ressentimento. Os guinéus não os viam como iguais; mas sim como opressores.

De modo, que (pelo menos muitos deles) não poderiam encarar com bons olhos Amílcar e seu irmão Luís. António Carreira, bastante citado por Francisco Henriques da Silva e Mário Beja Santos, lembrou "as diferenças abissais nas culturas" da Guiné e de Cabo Verde, de modo que nunca poderia dar certo o projecto de Amílcar e do PAIGC, de colocar no mesmo saco coisas tão diversas. No ano lectivo de 1899-1900 havia na Guiné sete escolas primárias oficiais, com 303 alunos; e em Cabo Verde 42 escolas, com 4.275 alunos! Uma diferença muito substancial, que se repercute ainda nos dias de hoje, passados 114 anos.

Se há um século os cabo-verdianos já eram muito mais instruídos do que os guineenses, não admira que as primeiras décadas da independência de Cabo Verde tenham vindo a decorrer muito melhor do que as primeiras quatro décadas da independência da Guiné-Bissau. O domínio português na Guiné sempre foi muito frágil, mormente até 1915 ou 1920. Muito mais ficção do que realidade, conforme compreende qualquer pessoa que se dê ao trabalho de ler dois ou três livros sobre o assunto.

Os cinco séculos de colonização portuguesa na África foram, em grande parte, uma miragem, uma figura de retórica, uma propaganda, pois que há 230 ou há 260 anos quase que não se sentia a presença de Portugal em grande parte dos territórios da Guiné, de Angola e de Moçambique. Esta semana, na qual ficamos a conhecer os resultados de mais umas eleições na Guiné-Bissau, depois do triste golpe de há dois anos, é bom fazer uma reflexão sobre tudo isto; mas sobretudo sobre o facto de que há 130 a Guiné não era verdadeiramente uma colónia de Portugal nem de ninguém.

Apenas um conjunto de meia dúzia de praças e de presídios. Não se pode construir uma nação a partir do nada. Não se constrói uma nação em 40 ou 50 anos, se não houver alicerces. Já o deveríamos saber. Já o teríamos vagamente pensado, talvez. Mas agora esta percepção é em mim muito mais acentuada, ao ler a importante obra de Francisco Henriques da Silva e de Mário Beja Santos, dois homens licenciados em História e que na Guiné foram alferes milicianos de infantaria, de 1968 a 1970.

Uma Guiné onde fiz duas escalas em 1963 e onde estive alguns dias precisamente em Fevereiro de 1968, aquando da visita do Presidente Américo Thomaz e do ministro do Ultramar, Silva Cunha. Uma Guiné onde mais tarde conheceria Nino Vieira, Kumba Ialá e Malam Bacai Sanhá, entre outras figuras. Uma Guiné que há 50 anos trago no coração.
»

Jorge Heitor, 15 de Abril de 2014

segunda-feira, 14 de Abril de 2014

O presidente da CEDEAO é mentiroso!!!


O presidente da comissão da Comunidade Económica dos Estados da Africa Ocidental (CEDEAO), o golpista Kadre Ouedraogo, rejeitou hoje a ideia de que a organização tenha "patrocinado" o golpe de estado militar de 2012 na Guiné-Bissau.

A acusação foi feita pela eurodeputada portuguesa Ana Gomes em declarações à Lusa, ontem."Quem faz aquelas afirmações é a responsável por aquilo que diz. A CEDEAO foi das primeiras organizações a condenar o golpe", defendeu o golpista Ouedraogo.